Ouça a rádio

Compartilhe

Por que o Cruzeiro sobra na Série B?

Planejamento, Paulo Pezzolano e torcida podem ser as respostas

Os segredos do sucesso do Cruzeiro na Série B

O Cruzeiro teve interrompida, contra o Vasco, a sua sequência invicta na temporada. E sabe o que isso significou? Nada!

O time não perdeu a ponta da tabela e sinceramente a derrota veio no momento em que o time poderia perder, pois tem uma “gordura boa” na liderança e serve para colocar fim a qualquer tipo de “oba oba” que pudesse vir a existir.

A pergunta que muitas pessoas me fazem: como explicar o melhor rendimento na Série B do Brasileiro mesmo com orçamento menor que nos anos anteriores e em relação a outros times concorrentes?

E a resposta pode estar no planejamento. Planejamento que passou pela escolha do técnico certo, Paulo Pezzolano, além da busca por jogadores que pudessem entender a filosofia do treinador e que soubessem disputar uma segunda divisão tão pesada como a edição deste ano.

E os números comprovam isso.

Liderando a Série B com 28 pontos, o Cruzeiro tem mais de 50% de chances de ser campeão, diferença absurdo em relação ao vice-líder Bahia, que tem pouco mais de 15% de chances neste momento. E isso se dá pelo aproveitamento da equipe estrelada, que supera os 77%.

Com 100% de aproveitamento em Belo Horizonte, o time celeste segue à risca um dos principais mandamentos de campeonatos por pontos corridos e especialmente da segunda divisão nacional: pontuar em casa.

Lembrando que escrevo este texto antes do jogo Cruzeiro X Ponte Preta e, portanto, a pontuação pode aumentar.

Além disso, beliscar pontos em território adversário é importantíssimo e a Raposa já conquistou 13 pontos de 21 disputados longe da capital mineira.

Outros números que comprovam a fase do Cruzeiro estão na defesa, a quarta melhor da Série B, e o ataque, o terceiro mais efetivo da competição.

Mas como o Cruzeiro está fazendo isso, se em comparação aos quatro principais concorrentes ao acesso a Série A, é a equipe de menor investimento?

Resposta: Planejamento.

Se a grana está curta, inteligência financeira, conhecimento do mercado são fundamentais. Para se ter uma ideia, a folha salarial cruzeirense gira na casa de R$ 2 milhões a R$ 2,5 milhões.

Comparando com o Grêmio, atual quinto colocado da competição, a diferença é brutal. O tricolor gaúcho tem uma folha salarial de R$ 10 milhões.

Outro e talvez mais importante diferencial dessa equipe do Cruzeiro é o seu treinador: o uruguaio Paulo Pezzolano, que chegou ao clube por meio do ex-zagueiro Paulo André, com quem teve contato no Athletico-PR. E hoje é um dos xodós da torcida, que a cada queda de um treinador no Brasil, teme perdê-lo.

E a torcida tem razão!

Aliás, a China Azul é outro motivo do sucesso cruzeirense nesta temporada, demonstrando um apoio fundamental e incondicional, como há muito tempo não se via.

 

Leia Mais

NO TOPO

Daniel Jr. brilha, Cruzeiro vira sobre o Sport e mantém folga na liderança da Série B

TUMULTO

Vídeo: confusão na entrada da torcida do Cruzeiro no Mineirão, para o duelo com o Sport

APRENDIZAGEM

Atlético: Turco comemora decidir vaga no Mineirão, mas lamenta erros contra o Emelec

NO G-4

Biel marca, Grêmio vence o Londrina e chega a nove jogos invicto na Série B 

SÉRIE B

Cruzeiro escalado para enfrentar o Sport com mudanças no meio e no ataque

Acesso rápido