Ouça a rádio

Compartilhe

Silveira e Zema podem se encontrar pela primeira vez depois de acordo entre PT e PSD

Foram convidados para festa na fazenda do líder da bancada mineira na Câmara dos Deputados

O governador Romeu Zema (Novo) e o senador Alexandre Silveira (PSD) podem participar do mesmo evento no próximo sábado (21). Ambos foram convidados para o aniversário dos irmãos do líder da bancada mineira na Câmara, deputado federal Diego Andrade (PSD), na fazenda da família, em Capim Branco.

Se os dois comparecerem, será o primeiro encontro deles, depois de fechada a aliança entre o ex-presidente Lula (PT) e o presidente nacional do PSD, Gilberto Kassab, para o palanque da Lula/Kalil em Minas. A última vez que os dois foram vistos publicamente, na mesma agenda, foi na Expô Curvelo, na semana passada.

Convite

O convite para o aniversário foi antes do fechamento do apoio Lula à Kalil, que deve ter Alexandre Silveira (PSD) como candidato ao senado na chapa. À época, há duas semanas, entusiastas consideravam a possibilidade de ter Silveira como líder do presidente Jair Bolsonaro no Senado e como senador na chapa do governador Romeu Zema (Novo).

Se a situação não tivesse mudado, o encontro seria uma boa oportunidade de aproximação entre os dois. No entanto, com a reviravolta no cenário, pode haver um certo constrangimento.

Pelo que a coluna apurou, pela proximidade e consideração que tem com Diego Andrade, Silveira pode comparecer. Na agenda oficial de Zema não consta o compromisso, mas interlocutores não descartam a possibilidade, mesmo que remota, de o governador comparecer.

O deputado federal já afirmou, publicamente, nas redes sociais, que nas eleições apoiará Bolsonaro e Zema, mesmo sendo do partido de Kalil.

Leia Mais

ENTREVISTA EXCLUSIVA

Bolsonaro critica paridade de preços internacionais na Petrobras

INVESTIGAÇÃO

Contador ligado a Lula é suspeito de lavar R$ 16 milhões em loteria com PCC

Eleição 2022

Eduardo Leite anuncia que vai disputar o governo do Rio Grande do Sul pelo PSDB

Decreto

AGU poderá dar parecer sobre temas eleitorais no último ano do governo 

MINISTRO SOLTO

Bolsonaro minimiza prisão de Milton Ribeiro: 'não foi corrupção, foi tráfico de influência. É comum'

Acesso rápido