Ouça a rádio

Compartilhe

Belo Horizonte vive semana de risco com torcidas rivais na cidade

A capital mineira terá três jogos em sequência envolvendo rivalidades: Cruzeiro x Ponte Preta e Atlético x Flamengo, que se encontrarão duas vezes 

Atlético e Flamengo se encontram no próximo domingo (19) e na quarta-feira (22), no Mineirão: primeiro, pelo Brasileirão, e em seguida pela Copa do Brasil

Belo Horizonte começa a viver nesta quinta-feira (16) uma semana em que todo cuidado será pouco no que se refere aos conflitos entre torcidas, pois serão três jogos em sequência envolvendo rivalidades.

A capital mineira, neste ano de 2022, já foi palco de uma briga entre atleticanos e cruzeirenses no Brasil 4 x 0 Paraguai, em 1º de fevereiro, no Mineirão, pelas Eliminatórias, e no clássico da fase classificatória do Campeonato Mineiro, em 6 de março, um torcedor celeste foi baleado na barriga e morreu num confronto entre organizadas na Região Leste da cidade.

O Cruzeiro x Ponte Preta desta quinta-feira é o confronto menos problemático, mas já merece cuidados. Isso porque a principal organizada do clube campineiro tem histórico de confusões por onde passa e não aplica a hospitalidade quando recebe visitantes no Moisés Lucarelli. O troco cruzeirense é uma possibilidade real com a qual os órgãos de segurança precisam trabalhar.

Cruzeiro e Ponte Preta se encontram na tarde de quinta-feira (16), no Mineirão

A partir do próximo domingo (19) teremos uma overdose de Atlético x Flamengo em Belo Horizonte. Este confronto, que será às 16h, pela 13ª rodada da Série A. No dia seguinte, segunda-feira (20), os dois clubes se enfrentam às 20h, mas no Independência, também pela 13ª rodada, mas do Brasileirão Feminino.

Na quarta-feira (22), atleticanos e flamenguistas voltam a se enfrentar, no Gigante da Pampulha, no jogo de ida pelas oitavas de final da Copa do Brasil.

Falar da rivalidade entre as torcidas de Atlético e Flamengo é chover no molhado. Mas o cenário de três partidas em quatro dias numa mesma cidade é inédito. Além disso, há outro problema, que é o fato de uma das organizadas mais violentas do clube carioca ser aliada de uma torcida cruzeirense.

Isso provoca a possibilidade de flamenguistas vierem à capital mineira para os três jogos, ficando os quatro dias na cidade.

O alerta não pode ser descartado pelas autoridades. O futebol brasileiro, após a pandemia, vive um momento de extrema violência. São vários os casos de brigas entre torcedores pelos quatro cantos do país, o último deles no domingo passado, quando organizadas de Coritiba e Palmeiras transformaram o entorno do Estádio Couto Pereira num campo de batalha. Durante a confusão, um palmeirense morreu.

É um erro grande que clubes, federações estaduais e CBF não tratarem a violência no futebol com a atenção que ela merece. Enquanto isso não acontece, cabe às autoridades tomarem providências para que a maioria absoluta que vai aos estádios não seja vítima da guerra entre bandidos.

Leia Mais

Zema

Depois de sinalização de nome de Simões para vice de Zema, parlamentares do PP se reúnem em Brasília

Eleições 2022

Ex-presidente Lula voltará ao Estado de Minas para oficializar a aliança com Alexandre Kalil

Serra do Curral

Tamisa, empresa autorizada a minerar na Serra do Curral, não tem registro no CREA

ALÉM DE SAFADÃO

Além de Safadão, outros famosos tiveram rompimentos polêmicos com seus empresários. Relembre! 

ELEIÇÕES 2022

MDB mineiro tem pré-candidato ao Senado, mas resiste à pressão por aliança com PSDB para o Governo

Acesso rápido