Ouvindo...

Times

Polícia indicia suspeito de estuprar e matar ciclista em Matipó, na Zona da Mata Mineira

Lavínia Scarlet Torres de Oliveira, de 24 anos, foi encontrada morta debaixo de um pé de café, próximo a casa onde morava; suspeito está preso

A Polícia Civil de Minas Gerais indiciou o homem suspeito de matar uma ciclista em Matipó, na Zona da Mata Mineira, em maio deste ano. A informação foi confirmada em coletiva de imprensa, realizada nesta segunda-feira (24).

O acusado, de 45 anos, irá responder pelos crimes de estupro seguido de morte, ocultação de cadáver, além de furto praticado em uma residência rural, na cidade de Luisburgo, para onde foi após o crime.

Lavínia Scarlet Torres de Oliveira, de 24 anos, desapareceu no dia 5 de maio, após sair de casa de bicicleta para fazer compras. Durante dois dias, familiares e a polícia procuraram pela jovem. No dia 7 de maio, o corpo da ciclista foi localizado debaixo de um pé de café, em uma lavoura bem perto da casa onde ela morava com o esposo e os dois filhos.

Leia também

Ao localizar o corpo, a polícia verificou imagens de câmeras de monitoramento próximas à casa da vítima. Nas imagens, foi possível observar o suspeito, estranho na cidade de Matipó, com a bicicleta de Lavínia.

O suspeito foi localizado no mesmo dia em que o corpo foi encontrado. Ele estava em um ônibus que ia de Luisburgo, para onde fugiu após o crime, para Manhuaçu. Ele chegou a furtar uma televisão e uma mochila de uma residência rural em Luisburgo.

O homem foi reconhecido por uma passageira, que de imediato passou a informação para a polícia. Ele preso no distrito de Vila Formosa, em Manhuaçu.

Suspeito abordou vítima para estuprá-la

O delegado Fábio Freitas, que investiga o caso, afirma que a polícia chegou a conclusão de que o suspeito agiu sozinho. Segundo Freitas, o acusado disse que abordou a vítima para estuprá-la.

“Tivemos todo o cuidado, para o trabalho e conclusão final do inquérito. Foi um crime cometido de maneira brutal e, a sociedade ficou muito comovida. A Polícia Civil fecha o caso e, ao mesmo tempo pede o indiciamento com provas robustas”, detalha o delegado.

Ao delegado, o homem contou que ficou trabalhando durante três dias em uma propriedade nas proximidades. Ele contou que, no dia do crime, estava fazendo uso de droga na lavoura, quando percebeu a vítima passando de bicicleta pela estrada.

Ciclista foi asfixiada, conclui perícia

De acordo com o perito Fernando Pereira, o levantamento e a coleta de material genético no corpo da vítima foram fundamentais para traçar a dinâmica da abordagem e da morte da jovem. “Lavínia foi sufocada e asfixiada”, afirma o perito.

O médico legista e chefe do posto do IML, Dr. Wanderson Lugão, também disse que a vítima foi abusada sexualmente pelo assassino, ainda em vida, assim que foi arrastada para a lavoura.

Para os pais da atleta, Cláudia Torres e Silvano de Oliveira Ferreira, a resposta da Polícia Civil traz um alívio.

“A dor é enorme para quem perde uma filha de forma tão brutal. Mas sabemos que o trabalho foi feito com isenção, e agora esperamos que a Justiça seja feita”, disse a mãe.

Suspeito também é investigado pela morte de outra mulher

Segundo o delegado regional, Felipe de Ornelas Caldas, a Polícia Civil de Manhumirim o suspeito é investigado pela morte de uma mulher de 37 anos. O corpo da vítima foi encontrado em um casarão, na região central da cidade, no dia 2 de maio.

A mulher estava com um saco na cabeça, indicando que possivelmente foi asfixiada, e tinha indícios de ter sido abusada sexualmente.

Os investigadores conseguiram imagens que mostram um homem parecido com o assassino de Lavínia saindo do local. Nos próximos dias, a polícia de Manhumirim concluirá a investigação.

*Com informações de Eduardo Satil


Participe dos canais da Itatiaia:

Fernanda Rodrigues é repórter da Itatiaia. Graduada em Jornalismo e Relações Internacionais, cobre principalmente Brasil e Mundo.
Leia mais