Ouvindo...

Times

Idosa é atacada por cachorro no bairro Santa Tereza em BH: ‘achei que ia morrer’

Marilene Costa, de 62 anos, afirma que o animal andava sem focinheira e coleira, e andava longe do dono; ela acusa o tutor de não prestar socorro

Uma mulher foi atacada por um cachorro enquanto caminhava, na manhã desta sexta-feira (14), pela rua Mármore, no bairro Santa Tereza, na região leste de Belo Horizonte.

A vítima Marilene Costa, de 62 anos, e testemunhas contam que o cão preto e branco, que parece ser um Pitbull, andava pela via solto e sem focinheira, ao lado do tutor. Por volta das 6h, a mulher estava a caminho da academia quando, de repente, o animal partiu para cima dela e a mordeu várias vezes no pescoço, rosto e braço.

Em entrevista à Itatiaia, Marilene revelou estar emocionalmente abalada e com muitas dores pelo corpo.

“Eu tentei correr e não consegui, ele me jogou no chão. Eu lutei muito contra ele. Ele queria estraçalhar o meu rosto. Eu protegi, mas ele machucou muito o meu pescoço. A minha sorte é que não atingiu uma veia. No meu braço esquerdo, eu achei que tinha que fazer um enxerto. No meu braço direito, eu levei três pontos. Tá muito machucado, muito aberto. Eu também estou com alguns hematomas e machucados da mordida dele. Eu achei que eu ia morrer”, detalhou.

Leia também

A idosa relata que o tutor do animal não prestou nenhum tipo de socorro a ela.

“O dono estava muito longe do cachorro. Ele estava sem focinheira e coleira. Quando ele me atacou, eu ainda fiquei debatendo por uns dois minutos ou mais com esse cachorro. Ele só me soltou porque eu tava com uma blusa de frio. Ele arrancou a manga direita da minha blusa e aí que ele soltou e o dono conseguiu segurar ele. Mesmo assim, o dono ficou perto de mim e eu gritando para esse homem tirar esse bicho de perto de mim. Muita gente me socorreu. O pessoal para ele ficar, mas ele foi embora. Não me prestou socorro”, disse.

Marilene foi socorrida por um funcionário de uma academia próxima ao local do ataque. Ela foi levada para o Hospital João XXIII, onde foi medicada e vacinada.

“Espero que a gente mude essas leis, sabe? Isso não pode ficar impune. A gente não merece isso, a gente é do bem. São pessoas que honram os compromissos, o respeito ao outro e às vezes são muito frágeis. Tá na hora de mudar essas leis”, finalizou.

Segundo a Polícia Militar, a rua em que ocorreu o ataque tem várias câmeras de segurança que vão ajudar nas investigações. O dono do cachorro não foi localizado até o momento.


Participe dos canais da Itatiaia:

Apaixonado por rádio, sou um bom mineiro que gosta de uma boa conversa e de boas histórias. Além de acompanhar a movimentação do trânsito, atuo também na cobertura de vários assuntos na Itatiaia. Sou apresentador do programa ‘Chamada Geral’ na Itatiaia Ouro Preto.
Fernanda Rodrigues é repórter da Itatiaia. Graduada em Jornalismo e Relações Internacionais, cobre principalmente Brasil e Mundo.
Leia mais