Ouvindo...

Times

Polícia descarta que motorista de app encontrado morto tenha sido assassinado

Carro do jovem caiu no parque Serra do Rola Moça; relatos de parentes indicaram que a vítima sofria de depressão devido dívidas financeiras

A Polícia Civil concluiu que o engenheiro e motorista de aplicativo Oscar Frederico, de 29 anos, encontrado morto com o veículo, em um precipício no Parque Serra do Rola Moça, em Ibirité, região metropolitana de Belo Horizonte, não foi vítima de homicídio ou latrocínio. As informações foram divulgadas em coletiva de imprensa nesta segunda-feira (20).

Conforme a polícia, em 11 de dezembro, familiares da vítima deram o motorista como desaparecido. No dia seguinte, o corpo dele foi encontrado com o veículo.

Imagens de segurança mostram o caminho percorrido por Oscar no dia do desaparecimento. “Conseguimos apurar que ele sai da empresa, onde trabalhava com engenheiro, e se dirige até um posto de combustíveis no bairro Jardim Canadá. Depois de efetuar o abastecimento, ele segue sentido Brumadinho e parque Serra do Rola Moça”, disse o delegado responsável pelo inquérito policial, Wellington Martins Faria.

Leia também

Uso de bebida alcoolica

O delegado ressaltou que os trabalhos periciais revelaram que, momentos antes de a vítima morrer, ela fez uso de bebida alcoólica. Relatos de parentes indicaram que a vítima sofria de depressão devido dívidas financeiras.

“A hipótese mais provável é de que, diante de seu frágil estado psicológico, o homem efetuou uso em demasia de bebidas alcoólicas, sendo que, logo em seguida, assumiu a direção de seu veículo, oportunidade em que, estando em velocidade incompatível, contando ainda com características sinuosas da via, perdeu o controle do automóvel, vindo em seguida a cair no precipício onde, infelizmente, veio a óbito”, apontou o delegado. De acordo com Faria, a Polícia Civil ainda não descartou a hipótese de suicídio.


Participe dos canais da Itatiaia:

Formou em jornalismo pela PUC Minas e trabalhou como repórter do caderno de gerais do jornal Estado de Minas. Na Itatiaia, cobre principalmente Cidades, Brasil e Mundo.
Jornalista formado em Comunicação Social pelo Centro Universitário de Belo Horizonte (UNI-BH). Na Itatiaia desde 2008, é “cria” da rádio, onde começou como estagiário. É especialista na cobertura de jornalismo policial e também assuntos factuais. Também participou de coberturas especiais em BH, Minas Gerais e outros estados. Além de repórter, é também apresentador do programa Itatiaia Patrulha na ausência do titular e amigo, Renato Rios Neto.
Leia mais