Ouça a rádio

Ouvindo...

Times

Fisiculturista diz que teve dias românticos antes de suspeito tentar matá-la: ‘apenas uma despedida’

Weldrin Lopes de Alcântara, de 45 anos, foi levado a júri popular pela tentativa de feminicídio contra a ex-namorada e fisiculturista Ellen Cristina Otoni Campos, de 37 anos

julgamento fisiculturista bh

A vítima Ellen Cristina Otoni Campos, de 37 anos, presta depoimento durante julgamento do ex-companheiro Weldrin Lopes de Alcântara, de 45 anos, acusado de tentar matá-la

Marcelo Almeida/TJMG

O fisiculturista Weldrin Lopes de Alcântara, de 45 anos, foi levado a júri popular, nesta terça-feira (23), pela tentativa de feminicídio contra a ex-namorada, a também fisiculturista Ellen Cristina Otoni Campos. A mulher de 37 anos foi baleada dentro do apartamento do suspeito, no bairro Liberdade, em Belo Horizonte, em fevereiro de 2023.

Em depoimento, a vítima contou que conhecia Weldrin desde 2017 por ambos serem do meio do fisiculturismo. Ela disse que esperava que os dois ficassem juntos enquanto casal, mas apesar das promessas do suspeito, isso nunca se cumpriu. Ellen ainda relatou que o relacionamento dos dois era marcado por divergências. A fisiculturista revela que era comum Weldrin a chamar de louca e sumir por vários dias quando brigavam. Depois, ele reaparecia.

Dias antes do crime, a mulher afirma que chegou a curtir o feriado de Carnaval com o suspeito, “com muito carinho”. Porém, Ellen acredita que os dias românticos “eram apenas uma despedida, já que ele havia planejado a sua morte”.

Ellen contou ao júri que no dia do crime, o casal discutiu por mensagens de celular. Após ter sido bloqueada pelo companheiro, Ellen decidiu ir até a casa dele resolver a situação. A mulher conta que chegou a esperar por cerca de duas horas na porta do prédio. Após Weldrin chegar, os dois subiram até o apartamento do suspeito. Uma nova discussão teria acontecido. Nesse momento, o homem foi até o quarto, pegou uma arma e atirou contra o rosto da fisiculturista.

Leia Também

Depois do primeiro disparo, Ellen diz que conseguiu ir para cima do suspeito, que atirou mais uma vez. Porém, o tiro pegou de raspão. Em seguida, ela teria escorregado no próprio sangue e caído, quando o homem aproveitou para dar mais um tiro na cabeça da fisiculturista. Ainda assim, Ellen conseguiu ir até o agressor e caiu deitada em cima dele. Nesse momento, Weldrin ainda teria disparado outras vezes contra a ex-companheira. Ao todo, Ellen foram seis tiros.

De acordo com a vítima, os disparos só pararam quando ela bateu no braço do suspeito e conseguiu desarmá-lo. Depois, ela abriu a porta do apartamento e conseguiu fugir. A mulher gritou por ajuda e foi socorrida pelos vizinhos.

Segundo o Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), o depoimento da vítima durou quase duas horas. Outras 10 testemunhas estão listadas para prestar depoimento nesta terça, mas algumas ainda podem ser dispensadas.

Suspeito está preso desde fevereiro de 2023

Weldrin responde na Justiça por tentativa de homicídio triplamente qualificado por ‘motivo torpe’, ‘recurso que dificultou a defesa da vítima’ e ‘feminicídio’. Weldrin foi preso no dia 27 de fevereiro de 2023, após pular o muro do condomínio, fugir por uma mata e ficar quatro dias escondido.

Em nota, o advogado Leon Obregon informou que ‘durante os debates em plenário demonstrará que o réu nunca quis o resultado morte da vítima, ao contrário’.

Infelizmente, alguns relacionamentos deterioram-se, fazendo com que uma das partes seja tomada por sentimentos perigosos, como no caso de Ellen, conforme inclusive demonstram os inúmeros vídeos divulgados à época pela própria imprensa, atribuídos a ela, onde promete toda sorte de maldades contra o réu e sua família, contribuindo para que desfechos não desejados ocorram. Assim como há relacionamentos tóxicos de homem para com a mulher, há mulheres tóxicas e isso será passado aos jurados

Relembre o caso

Ellen, de 37 anos, foi baleada dentro do apartamento onde mora no Bairro Liberdade, região da Pampulha, na noite do dia 23 de fevereiro. O principal suspeito do crime é o companheiro da vítima, identificado como Weldrin Lopes de Alcantara, de 44 anos, que fugiu da cena do crime e só foi preso quatro dias depois.

De acordo com as primeiras informações, o casal estava tendo uma briga, quando disparos e pedidos de socorro foram ouvidos por vizinhos. A polícia foi acionada e os militares empenhados se depararam com ela caída ao chão, vítima de pelo menos quatro tiros.

O suspeito se entrgou à polícia porque, segundo ele, não aguentava mais a pressão. Ele vai esperar o julgamento preso preventivamente na Ceresp Gameleira. A defesa do fisiculturista chegou a sugerir que ele agiu em legítima defesa, hipótese que foi descartada pela Polícia Civil.

Os advogados do atleta haviam alegado que a vítima, Ellen Cristina Otoni, ameaçava o namorado de morte durante brigas. Entretanto, a delegada responsável pelo caso, Cristiane Moreira, afirmou que os vídeos que mostram Ellen ameaçando Weldrin não foram gravados no dia da tentativa de homicídio.

* com informações de Célio Ribeiro e Renato Rios Neto

Participe do canal da Itatiaia no Whatsapp e receba as principais notícias do dia direto no seu celular. Clique aqui e se inscreva.

Jornalista formado em Comunicação Social pelo Centro Universitário de Belo Horizonte (UNI-BH). Na Itatiaia desde 2008, é “cria” da rádio, onde começou como estagiário. É especialista na cobertura de jornalismo policial e também assuntos factuais. Também participou de coberturas especiais em BH, Minas Gerais e outros estados. Além de repórter, é também apresentador do programa Itatiaia Patrulha na ausência do titular e amigo, Renato Rios Neto.
Formou em jornalismo pela PUC Minas e trabalhou como repórter do caderno de gerais do jornal Estado de Minas. Na Itatiaia, cobre principalmente Cidades, Brasil e Mundo.
Leia mais