Ouça a rádio

Ouvindo...

Times

Empresa suspende repasses e deixa quase 50 animais sem recursos, denuncia protetora

Animais foram recolhidos da Refinaria Gabriel Passos, em Betim, e deveriam ser administrados em parceria com uma empresa de meio ambiente, que não estaria honrando os pagamentos desde agosto de 2023

Foto mostra cães em abrigo em Betim, na Grande BH

Petrobras afirmou que vai investigar situação

Imagens cedidas à Itatiaia

Uma protetora de animais de Betim, na região metropolitana de Belo Horizonte, denuncia que deixou de receber repasses de uma empresa que pagava para ela cuidar e tratar de cachorros e gatos recolhidos dentro da Refinaria Gabriel Passos. Ela afirma que a situação financeira é insustentável e os animais correm o risco de passar necessidade. A empresa nega as acusações (confira o posicionamento no fim da matéria).

Karen Maron afirma que assinou um contrato com a Arvut Meio Ambiente no fim de 2022. A empresa resgataria os animais no terreno da refinaria da Petrobras e Karen ficaria responsável por hospedar e cuidar desses animais. No início, eram só gatos, mas depois começaram a chegar muitos cachorros, o que a levou a alugar um segundo espaço para receber os animais.

Leia Também

O valor repassado pela empresa seria usado para manter a estrutura para os animais, além de oferecer alimento e higiene. Entre agosto e setembro de 2023, a empresa deixou de fazer os repasses, alegando que a Petrobras não estava fazendo o pagamento pela ação.

Karen conta que, inicialmente, entendeu a situação e tentou procurar formas de evitar que os animais ficassem desamparados. Porém, a empresa não tentou encontrar uma solução e, em quatro meses, a dívida entre a Arvut e a protetora já superava os R$ 100 mil.

‘Nada deles pagarem. Eu tentei de diversas formas, de forma amigável, informal, não teve jeito. Mandamos três notificações extrajudiciais, mas zero retorno. Nenhuma negociação. Viera com uma proposta que era insustentável. Eu pedia pelo menos para eles mantivessem a ração dos animais, mas até agora nada’.

Em nota, a Petrobras informou que, a partir das denúncias recebidas, ‘fará uma rigorosa apuração e tomará todas as providências necessárias para sanear a situação e garantir o melhor cuidado aos animais abrigados’.

Em ligação à Itatiaia, o CEO da Arvut, Kayo Soares, explicou que um ‘problema formal’ no contrato fez com que a Petrobras deixasse de fazer os pagamentos pelo serviço entre julho de 2023 e janeiro de 2024. Kayo afirma que a estatal está quitando os débitos com a Arvut.

Kayo afirma ainda que a empresa tem tentado negociar suas dívidas com Karen e que, em nenhum momento, os animais ficaram abandonados. O CEO da Arvut conta ainda que, apesar do contrato entre a empresa e a Petrobras estar se encerrando agora em janeiro, todos os animais serão encaminhados para a adoção definitiva.=

Participe do canal da Itatiaia no Whatsapp e receba as principais notícias do dia direto no seu celular. Clique aqui e se inscreva.

Jornalista formado pela UFMG, com passagens pela Rádio UFMG Educativa, R7/Record e Portal Inset/Banco Inter. Colecionador de discos de vinil, apaixonado por livros e muito curioso.
Leia mais