Ouça a rádio

Ouvindo...

Times

Marido de Walewska cria ‘terror’ na vida dos pais da ex-jogadora, diz advogado

Família da ex-jogadora de vôlei registrou uma queixa-crime contra Ricardo Mendes por coação e extorsão; viúvo quer cobrar aluguel dos pais da atleta

A família da ex-jogadora de vôlei Walewska registrou, nesta terça-feira (14), uma queixa-crime contra o viúvo da atleta, Ricardo Mendes, que é acusado de coagir e extorquir os pais de Walewska durante o processo de partilha de bens. Ricardo teria enviado uma notificação extrajudicial para os pais da ex-jogadora exigindo que eles pagassem aluguel pelo apartamento em que vivem, na Pampulha, em Belo Horizonte, adquirido pela jogadora antes do casamento.

A queixa-crime foi registrada nesta terça-feira (14) no 78º Distrito Policial de São Paulo, que fica na região de Jardins. Em entrevista à Itatiaia, Eric Vaccarezza, advogado dos pais de Walewska, afirma que Ricardo deve respeitar o que diz a lei e acusa o ex-marido da jogadora de ‘criar uma situação de terror’ na vida dos sogros.

‘Ele tem que receber o que a lei determina do fruto do trabalho dela. Ele precisa respeitar a lei e ter direito aos bens que foram adquiridos após o casamento. Esse bem não foi adquirido após o casamento e, mesmo assim, eles estão, numa forma muito incisiva, querendo expulsar os pais dela do imóvel que lhes pertence e criando uma situação de terror na vida dos pais dela que hoje se encontram aterrorizados. Escondidos não seria a palavra, porque bandido que anda escondido. Mas se encontram guardados, com medo, na casa de um parente, com medo dele chegar lá e invadir a casa, expulsá-los, porque é essa a leitura que se faz do documento que foi enviado’.

Ricardo é o inventariante do processo de partilha dos bens da ex-jogadora e, mesmo sem a definição da divisão dos bens, ele teria enviado uma notificação extrajudicial para os pais de Walewska, exigindo o pagamento de um aluguel de pouco mais de R$ 2 mil pelo imóvel em que eles vivem. O advogado da família de Walewska também acusa Ricardo de omitir bens, incluindo imóveis e até um veículo da marca Porsche.

A Itatiaia tenta contato com a defesa de Ricardo Mendes desde o mês de abril, mas não obteve retorno. O espaço segue aberto.

Leia também

Walewska trocou mensagem com o marido minutos antes de morrer

Poucos minutos antes de morrer, Walewska trocou uma última mensagem com o marido, Ricardo. Na ocasião, a ex-jogadora disse amar o esposo e comentou sobre a decisão dele de se divorciar.

Às 18h07 (de Brasília), Walewska enviou uma mensagem no WhatsApp para Ricardo com a seguinte frase: “Amo você. Mas, acho que você já tomou a sua decisão”. No mesmo minuto, Ricardo respondeu com um “Também te amo”.

De acordo com as investigações, Walewska caiu do 17º andar do prédio em que morava oito minutos após enviar a mensagem ao marido.

No Boletim de Ocorrência (B.O) sobre o caso, os militares presentes no local consideraram como “dúvida razoável” a hipótese de a campeã olímpica ter se jogado do edifício. O documento diz ainda que Walewska deixou carta “aparentemente de despedida”.

A polícia relatou que, conforme imagens de câmeras de segurança, Walewska acessou o 17º andar do condomínio às 16h50 (de Brasília) da última quinta-feira (21), no mesmo dia da morte. Ela carregava consigo uma garrafa de vinho, uma taça, uma pasta e seu celular.

A última conversa do casal no WhatsApp foi divulgada por Ricardo em entrevista ao UOL.

Relacionamento estava desgastado

Aos policiais, Ricardo afirmou que eles estavam casados há aproximadamente 20 anos, mas que o casal passava por problemas, e ele tinha a intenção de se divorciar em breve.

Além disso, conforme relato do marido, a ex-jogadora da Seleção Brasileira era “compulsiva por compras” e havia “dilapidado boa parte do dinheiro que conseguiram durante os anos de casado”.

História de Walewska

A ex-jogadora foi revelada pelo Minas, em 1995 e ficou no clube até 1998. Ela voltou ao time da capital mineira em 2014 e ficou até o ano seguinte. A meio-de-rede ainda defendeu Rexona/Ades, São Caetano, Sirio Perugia da Itália, Murcia da Espanha, Zarechie da Rússia, Vôlei Futuro, Vôlei Amil, Minas, Osasco e Praia Clube, onde encerrou a carreira em 2022.

Walewska também teve duas passagens pelo Praia Clube, de Uberlândia. A primeira foi entre 2015 e 2018, quando conquistou o título da Superliga Feminina de Vôlei pela segunda vez na carreira (ela já havia sido campeã em 2000 pelo Rexona/Ades).

A última passagem de Walewska pelo Praia Clube começou em 2019 e terminou no ano passado, quando ela anunciou a aposentadoria.

Walewska foi duas vezes campeã da Superliga (1999-2000 e 2017-18). A meio-de-rede ainda levantou as taças da Supercopa (2019, 2020 e 2021), do Troféu Super Vôlei e do Campeonato Mineiro (2019 e 2021).

Super campeã pela Seleção Brasileira

Walewska defendeu a Seleção Brasileira durante boa parte da carreira. A primeira convocação foi em 1999, com Bernardinho. No mesmo ano, ela conquistou o título dos Jogos Pan-Americanos de Winnipeg, no Canadá.

O auge da carreira de Walewska foi o título dos Jogos Olímpicos de 2008, em Pequim, na China. Ela também ganhou a medalha de bronze nos jogos de 2000, em Atenas, na Grécia.

Ela também conquistou três vezes o título do Grand Prix de Vôlei: 2004, 2006 e 2008. Na última conquista, foi eleita a melhor bloqueadora do torneio.


Participe dos canais da Itatiaia:

Jornalista formado pela UFMG, com passagens pela Rádio UFMG Educativa, R7/Record e Portal Inset/Banco Inter. Colecionador de discos de vinil, apaixonado por livros e muito curioso.
Leia mais