Ouça a rádio

Ouvindo...

Times

Órgão descarta irregularidades em lago artificial construído em mansão de Neymar

Técnicos do Instituto Estadual do Ambiente chegaram a conclusão que obra não causa impactos ambientais que exijam licenciamento

Um documento assinado por técnicos do Instituto Estadual do Ambiente (INEA) descartou irregularidades ambientais na construção de um lago artificial na casa do jogador Neymar em um condomínio em Mangaratiba, no Rio de Janeiro. O jogador foi multado em mais de R$ 16 milhões por conta da obra, mas a cobrança foi suspensa pela Justiça (relembre o caso no fim da matéria).

A visita foi feita no início de janeiro e acompanhada pelo pai do jogador, além do administrador do condomínio. Durante a vistoria, os técnicos do INEA chegaram a conclusão de que a obra não causa impactos ambientais que demandam licenciamento ou controle ambiental do órgão. Também não foram identificadas poda drástica ou supressão de vegetação nem captação de água irregular. Os especialistas também alegaram que a movimentação de terra realizada no local foi apenas para a implantação do sistema de tratamento de esgoto.

O documento foi encaminhado para o Ministério Público, que vai avaliar o laudo e decidir quais serão os próximos passos do processo. A Secretaria de Meio Ambiente da Prefeitura de Mangaratiba afirmou que não vai comentar o resultado da vistoria do INEA

Veja o valor de cada multa:

  • Realização de obra passível de controle ambiental sem autorização: R$ 10 milhões;
  • Movimentação de terras sem autorização: R$ 5 milhões;
  • Descumprimento de embargo imposto (o jogador mergulhou no lago depois de interditado): R$ 1 milhão;
  • Supressão de vegetação sem autorização: R$ 10 mil.
Leia também

Relembre o caso

No dia 22 de junho de 2023, a Secretaria de Meio Ambiente de Mangaratiba fez uma vistoria na casa de Neymar depois de receber uma denúncia anônima de crime ambiental. Ao chegar lá, os fiscais constataram a construção de um extravagante lago sem licença ambiental e o interditaram, causando a ira do pai de Neymar, que chegou a receber voz de prisão da secretária do Meio Ambiente de Mangaratiba, Shayenne Barreto, depois de desacatá-la. Ele, porém, foi liberado minutos depois.

Dois dias depois, os fiscais retornaram ao local após fotos e vídeos de pessoas no lago circularem nas redes sociais. Eles identificaram movimentações na área embargada, caracterizando descumprimento da interdição, o que rendeu nova multa ao jogador

Suspensão da multa

No início de outubro, Neymar foi liberado pela Justiça do Rio de Janeiro de pagar as quatro multas que recebeu por construir um lago artificial na sua mansão em Mangaratiba. Ele teria que pagar R$16 milhões à prefeitura da cidade.

A informação é da agência EFE. O juiz Richard Robert Fairclough, da Vara Única da Comarca de Mangaratiba, concedeu uma medida cautelar para suspender as multas do craque, sob a justificativa de que seriam desporporcionais.

O juiz alegou que as multas são abusivas e ordenou que fossem suspensas pela Prefeitura de Mangaratiba em até 72 horas, sob pena de multa de R$10 mil.

O atacante já havia solicitado à Justiça do Rio para que anulasse as multas que recebeu devido à construção do lago artificial, alegando que houve vícios na qualificação dos autos de infração e citaram que houve uma “espetacularização midiática” do caso. A defesa do craque também alegava falta de provas.

Projeto

O projeto é de autoria da Gênesis Ecossistemas, e foi concluído em tempo recorde: dez dias. É resultado de uma espécie de desafio proposto pela Genesis Experience, que registrou todas as etapas nas redes sociais da empresa, incluindo vídeos em que o pai de Neymar aparece.

“Estou animado, achei o projeto animal, estou bem feliz”, disse Neymar em vídeo em que anunciava a iniciativa. Nele, o astro do PSG conversa com Ricardo Caporossi Jr., dono da empresa responsável pela obra, com sede em Holambra, interior de São Paulo. “Vai ficar lindo, o lago mais bonito da Genesis”, havia exaltado o empresário.

A Gênesis ecossistemas diz ser especialista em paisagismo, lagos artificiais e piscinas. Desde 2020, Caporossi passou a realizar uma espécie de reality show junto de um curso em que propõe uma “supermudança” em determinado ambiente em dez dias. A mansão de Neymar fez parte da quarta edição desse programa e o curso foi vendido para dez pessoas por R$ 120 mil.

Com um apelo semelhante a outros programas de reforma que fazem sucesso na TV, como Irmãos à Obra, Extreme Makeover e até mesmo o Lar Doce Lar de Luciano Huck, a Genesis Experience exibiu o andamento do projeto no YouTube para que as pessoas acompanhassem a preparação, a execução e a entrega de uma grande obra que mude a paisagem de uma casa ou região.

Participe do canal da Itatiaia no Whatsapp e receba as principais notícias do dia direto no seu celular. Clique aqui e se inscreva.

Jornalista formado pela UFMG, com passagens pela Rádio UFMG Educativa, R7/Record e Portal Inset/Banco Inter. Colecionador de discos de vinil, apaixonado por livros e muito curioso.
Leia mais