Wellington Campos

Coluna do Wellington Campos

Veja todas as colunas

Mais Notícias

Uma chance de ouro para Minas Gerais em 2016

Uma chance de ouro para Minas Gerais em 2016

06/05/2013 às 02:27

Atenção povo de Minas Gerais. Além do futebol que terá uma sede em Belo Horizonte no Jogos Olímpicos e Paraolímpicos de 2016, as cidades mineiras podem ganhar dinheiro e construir ou atualizar  centros de treinamentos para as 44 modalidades esportivas e 205 delegações que virão para competição. Porém, um aviso: não haverá dinheiro público. O Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos e Jogos Paraolímpicos Rio 2016 lançou nesta quinta-feira, dia 17, um projeto que estenderá a experiência do maior evento multiesportivo do mundo a outras cidades do Brasil. O Processo para Cadastramento e Seleção de Locais de Treinamento Pré-Jogos vai identificar instalações esportivas em todo o país que atendam aos requisitos técnicos e recomendações das Federações Internacionais para que os Comitês Olímpicos e Paraolímpicos Nacionais possam trazer seus atletas para o país-sede antes dos Jogos, visando à concentração e o aperfeiçoamento do treinamento e sua aclimatação às condições locais. Participaram do evento realizado na sede da Rio 2016 o Presidente do Comitê Organizador, Carlos Arthur Nuzman; o Diretor de Esportes do Comitê Rio 2016, Agberto Guimarães; o Presidente do Comitê Paraolímpico Brasileiro (CPB), Andrew Parsons; o Presidente do Conselho Deliberativo da Associação Brasileira de Municípios (ABM), Waldenir Bragança; além do Superintendente Executivo de Esportes do Comitê Olímpico Brasileiro (COB), Marcus Vinícius Freire, que falou sobre a importância da oferta de Locais de Treinamento Pré-Jogos para uma Delegação Nacional. “Vários países já estiveram aqui procurando locais de treinamentos, como Austrália, Estados Unidos, Canadá e estão por aqui o Reino Unido, com seus representantes .O investimento para receber essas delegações é um investimento para o futuro. Na hora em que se faz um upgrade numa instalação também se qualificam os profissionais para usá-la depois e aí vem o legado para as cidades que se prepararem para receber as delegações, e também tem a questão financeira porque a instalação vai cobrar pelos serviços que prestar”, disse Marcus Vinícius. Instituições esportivas municipais, estaduais e federais, instituições de ensino públicas e privadas, instituições militares, clubes esportivos particulares, empresas do ramo esportivo e outros que possuam instalações enquadradas nos requisitos técnicos poderão participar do processo. Os interessados podem se inscrever a partir desta quinta, 17/02, até o dia 5 de abril através do preenchimento online do formulário disponível no site oficial Rio 2016: www.rio2016.com/treinamentoprejogos. O processo de cadastramento e seleção, dividido em várias fases, culminará em janeiro do ano que vem com a assinatura do Termo de Compromisso pelas instalações esportivas que tenham cumprido as exigências do regulamento, e o posterior lançamento do Guia de Locais de Treinamento Pré-Jogos Rio 2016 durante os Jogos Olímpicos Londres 2012. “Receber uma Delegação Olímpica ou Paraolímpica movimenta as cidades social e economicamente. Estas cidades podem passar a atuar como pólo de desenvolvimento esportivo em seu estado ou região e crescer como indústrias do esporte. É também uma oportunidade de divulgação e promoção nacional e internacional do potencial esportivo e turístico da cidade. Esse projeto é uma peça fundamental na disseminação dos benefícios e da experiência dos Jogos para todo o país”, disse Carlos Arthur Nuzman. Agberto Guimarães ressaltou que o potencial esportivo de uma instalação pode ser muito maior do que até mesmo seus proprietários imaginam: “Um ginásio pode abrigar esportes de quadra como basquete, handebol, vôlei sentado, goalball, mas também judô olímpico e paraolímpico, taekwondo, halterofilismo, esgrima entre outros, desde que se adquiram os respectivos equipamentos esportivos. Da mesma maneira, uma cidade litorânea pode oferecer locais de treinamento para vôlei de praia, vela olímpica e paraolímpica, triatlo olímpico e paraolímpico e maratona aquática”. O presidente do Conselho Deliberativo da Associação Brasileira de Municípios, Waldenir de Bragança, ressaltou que a oferta de locais de treinamento pré-Jogos vai integrar todo o Brasil.´"É uma oportunidade única de integração para todos os municípios do país. Os Jogos Olímpicos vão constituir influência fundamental no processo de desenvolvimento sócio-econômico-cultural de todo o Brasil", disse Bragança. Uma Comissão Avaliadora multidisciplinar, formada por até 15 membros do Comitê Organizador Rio 2016, com apoio do COB, CPB e Ministério do Esporte, avaliará a adequação dos locais às exigências do regulamento. A oferta de Locais de Treinamento Pré-Jogos através da publicação do guia é uma das responsabilidades da Rio 2016 com o Comitê Olímpico Internacional e um serviço aos Comitê Olímpicos e Paraolímpicos Nacionais, que, então, podem entrar em contato com os locais indicados para firmar acordos de uso das instalações esportivas para programas de treinamento. Não deixe de ler no  www.rio2016.com/treinamentoprejogos todos os detalhes.

Escreva seu comentário

Preencha seus dados

ou

    #ItatiaiaNasRedes

    RadioItatiaia

    No Dia Nacional da Visibilidade Trans, Letícia Imperatriz, mulher trans, diz que ainda há muito o que melhorar #itatiaia

    Acessar Link

    RadioItatiaia

    Município admite necessidade de aumentar número de leitos pediátricos #itatiaia

    Acessar Link