Wellington Campos

Coluna do Wellington Campos

Veja todas as colunas

Mais Notícias

STJD aperta cerco aos maus torcedores

STJD aperta cerco aos maus torcedores

06/05/2013 às 02:27

Durante alguns anos o STJD -Superior Tribunal de Justiça Desportiva- punia com rigor os clubes devido aos maus torcedores. Brigas, arremessos de objetos e outras indisciplinas custaram muito caro aos combalidos cofres dos clubes. Houve uma redução de casos assim. Os próprios torcedores começaram a vigiar suas torcidas para evitar prejuízos. Na última reforma do CBDJ -Código Brasileiro de Justiça Desportiva- houve um abrandamento do artigo 213 que trata dos motivos para as perdas de mando de campo. A multa foi reduzida de R$ 500mil para R$ 100mil em punição máxima. Se houver a prisão do torcedor com o devido Boletim de Ocorrência da Policia Militar, o clube é absolvido, dependendo do caso. Com a chegada do Dr. Flávio Zveiter à presidência do STJD, a procuradoria com o Dr Paulo Schimit, volta a denunciar os clubes pelos problemas de comportamento das torcidas nos estádios e as punições aumentaram. Cruzeiro, Paysandu, Icasa, CRAC estão neste momento punidos. Palmeiras, Ceará, Paysandu, de novo, Portuguesa e América RN serão os próximos clubes julgados nas Comissões Disciplinares. Os advogados estão preocupados com o tamanho das punições que virão. A novidade da hora é o laser que os torcedores insistem em levar para os estádios. Os árbitros estão orientados a paralisar os jogos até que esse raio seja localizado e cara preso, se possível. O clube quando não perde mando de campo, leva multa. Recentemente o Palmeiras pagou R$ 20 mil. Até quando os clubes vão fazer vistas grossas para esses prejuízos financeiros e técnicos? Como fazer futebol profissional e ter lucro se a qualquer momento um maluco invade o campo, arremessa alguma coisa ou comete uma indisciplina capaz de levar sua equipe ao tribunal e a punição? O Ministério Público nada faz. Até promete, porém na prática os baderneiros passeiam livremente pelas cidades e estádios aterrorizando pessoas de bem, com poder financeiro para gastar nos estádios, mas que fogem deles com medo. O futebol virou um grande negócio, só não movimenta mais dinheiro  que o turismo. O Brasil terá dois grandes eventos e precisa saber ter lucro e gerar emprego com eles. Com leis rigorosas poderemos educar essa gente que brinca de estragar a festa.

Escreva seu comentário

Preencha seus dados

ou

    #ItatiaiaNasRedes

    RadioItatiaia

    Entre as drogas estavam 307 quilos de maconha

    Acessar Link

    RadioItatiaia

    Negócio envolve R$ 7,5 bilhões e a aquisição de 386 unidades de varejo de autosserviço

    Acessar Link