Ouça a rádio

Compartilhe

Sofrimento Padrão Fifa

Belo Horizonte, Mineirão e o sofrimento de uma classificação no Padrão Fifa. Assim deixamos a Pampulha no sábado. Quantos milhões de lágrimas rolaram nas últimas horas pela nossa Seleção Brasileira?

Sofrimento Padrão Fifa

(Crédito: Jefferson Bernardes/Vipcomm)

Belo Horizonte, Mineirão e o sofrimento de uma classificação no Padrão Fifa. Assim deixamos a Pampulha no sábado. Quantos milhões de lágrimas rolaram nas últimas horas pela nossa Seleção Brasileira? Cada um de nós tem uma história daquele Brasil x Chile.

Até o travessão do gol da direita do estádio ficará marcado na nossa história para sempre, vindo ou não o campeonato mundial. Lógico, o poste também merece um brinde ao pênalti chutado lá pelo chileno Jara.

Diria o imortal Nelson Rodrigues, estava escrito há 3 mil anos que o goleiro Julio César pagaria com juros bancários abusivos do Brasil uma dívida de futebol com a Holanda, quatro anos atrás. As manchetes dos jornais refletiram esse pagamento com defesas sensacionais.

Foi o jogo para consagrar o atacante Hulk. Mas os deuses do futebol escolheram o goleiro. Vamos apostar numa grande exibição do nosso super-herói em Fortaleza contra os colombianos. Aliás, todos estão devendo um bom futebol.

A desconfiança tomou conta dos torcedores. No Mineirão fizemos muito mais um jogo de coração do que tática. E volto àquela bola na trave, aos 118 minutos do jogo, para salvar nossa honra dentro de casa.

Vamos esperar mudanças de jogadores e posturas em campo, sexta-feira, em Fortaleza, diante da Colômbia. Pode sim chorar no hino, se emocionar com a festa. Porém devemos continuar em campo suando sangue pela nossa pátria de chuteiras.

Vamos jogar com a alma para voltar a Belo Horizonte e apagar a má impressão que ficou. Sem sofrimento Padrão Fifa, por favor. Ou então, um remédio debaixo da língua com efeito para não sei quantas horas.