Ouça a rádio

Compartilhe

O céu e o inferno de um Cruzeiro e Atlético

O céu e o inferno de um Cruzeiro e Atlético

Assim como foi na ultima rodada do Brasileirão 2011, Cruzeiro e Atlético chegam para o clássico. Cruzeiro com a corda no pescoço e o Galo numa boa. Sem a possibilidade de rebaixamento como foi em dezembro, mas vindo de uma goleada vexatória para o Coritiba, com torcedores contestando as qualidades de alguns jogadores do elenco celeste, o Cruzeiro precisa ser guerreiro e vencer, parando o líder. Com campanha invejável e grupo comprometido com as vitorias, o Galo chega para o clássico com favoritismo e um título simbólico do primeiro turno. Time vai sendo colocado à prova e respondendo com grandeza. A massa vive dias mágicos, transformando o Independência em caldeirão. Porém, como Cruzeiro e Atlético é algo inexplicável e imprevisível, tudo pode acontecer e não irá surpreender ninguém. Até não acontecer nada. É sempre um jogo diferente. Confesso estar curioso com o comportamento dos cruzeirenses   que irão ao Independência no domingo. Apoiar e cobrar? Só apoiar? apenas cobrar bom futebol? Ou nem irão ao estádio? E os atleticanos, gostariam de ver o clássico de pertinho, ou deixar para o segundo turno, podendo ser campeão? Como sempre, esse Cruzeiro e Atlético promete! Os treinadores não podem inventar. Não existe fórmula para vencer clássico além do coração na ponta da chuteira, como dizia Nelson Rodrigues. O céu e o inferno são muito próximos quando termina um Cruzeiro e Atlético.