Wellington Campos

Coluna do Wellington Campos

Veja todas as colunas

Mais Notícias

E o Maracanã?

Passou a Copa das Confederações e o Brasil levou a taça, para a alegria de todos. Achamos um jeito de jogar, e a pegada em campo conquistou os torcedores nas arquibancadas dos estádios para o Mundial...

04/07/2013 às 04:30

Passou a Copa das Confederações e o Brasil levou a taça, para a alegria de todos. Achamos um jeito de jogar, e a pegada em campo conquistou os torcedores nas arquibancadas dos estádios para o Mundial.

Estádios lindos, confortáveis e caros. Nas obras e nos bares.

Os melhores de trabalhar para a imprensa, na minha modesta opinião, Castelão, em Fortaleza, Mineirão, em Belo Horizonte, e Maracanã, no Rio de Janeiro. Entenda-se por melhores as condições de trabalho, o acesso das posições de comentaristas até zona mista e a sala de entrevista coletiva. Porém, nada que um acerto aqui ou ali não deixem todos eles no "padrão FIFA".

Mas minha pergunta: e o Maracanã? Acabada a competição teste da FIFA, percebo que os estádios Mané Garrincha, em Brasilia, Castelão, em Fortaleza, e Arena Pernambuco, em Recife, já conseguiram um calendário de jogos do Brasileirão, aproveitando os grandes clubes do Rio de Janeiro. E nada do Maracanã.

Dizem que Vasco x Fluminense, no dia 21 de julho, aniversário do Tricolor, será lá. O Flamengo anuncia mais cinco jogos em Brasília, o Vasco busca alternativas, e nada do Maracanã.

Falam que o Consórcio Maracanã ainda não conseguiu assinar com os clubes cariocas. Pelo contrato, são obrigados a realização de 48 partidas por ano. Qual é o mistério?

Enquanto isso, o torcedor carioca morre de saudades dos jogos no chamado "maior estádio do mundo", sem perguntar o preço do ingresso. Louco para ver como ficou bonito e gostoso o nosso Maracanã, sem perder a acústica e a magnitude, que sempre fizeram dele um santuário do futebol.

E o Maracanã? Volta quando? Volta logo, por favor!

Escreva seu comentário

Preencha seus dados

ou

    #ItatiaiaNasRedes

    RadioItatiaia

    Temperatura máxima pode chegar aos 28ºC #itatiaia

    Acessar Link

    RadioItatiaia

    Antes da pandemia, cerca de 3.500 profissionais atuavam na área; agora, não é possível precisar o número #itatiaia

    Acessar Link