Ouça a rádio

Compartilhe

CT do São Paulo é uma fábrica de craques

CT do São Paulo é uma fábrica de craques

Aqui em São Paulo acompanhando a Seleção Brasileira tenho a oportunidade de conhecer o CT de Cotia, um dos melhores do mundo. Renê Simões, renomado técnico e estudioso do futebol, classifica-o como perfeito para abrigar alguma seleção durante a Copa do Mundo em 2014.  A França se antecipa e negocia com o São Paulo diretamente, sem passar pela FIFA. As grandes seleções geralmente fazem assim. Simões não deixa de citar outros centros de treinamentos como referencia para os outros clubes brasileiros. Cidade do Galo, Toca da Raposa II e CT do Atlético Paranaense estão neste nível. A meta é ter no time principal do Tricolor do Morumbi oito jogadores formados aqui em Cotia em 2015. O centro de excelência da base é sensacional. Fica fácil entender por que o São Paulo está sempre conquistando títulos e vendendo por muito dinheiro seus atletas, como foi agora com meia Lucas, negociado com o PSG da França por R$ 106 milhões aproximadamente. Lucas ficou morando no CT de Cotia por 4 anos e o retorno financeiro já foi alcançado. Atacante Hulk também passou por aqui. Ficou seis meses e foi liberado. Daqui seguiu para o Vitória e de lá foi vendido para o Japão. Depois foi comprado pelo F.C. Porto e agora é repassado ao Zenit da Rússia por R$ 153 milhões. Retornou na última segunda-feira ao mesmo lugar onde saiu reprovado. Sem mágoas e reconhecendo que o prazo que ficou em testes foi importante. Os mineiros possuem belos centros de treinamentos, porém os outros clubes ainda precisam conhecer essas estruturas, verdadeiras máquinas de craques. Quem sabe investir consegue mais lucros e conquistas. Diria que o segredo é bem mais simples que se possa imaginar.