Ouça a rádio

Compartilhe

CBF anuncia novidades na arbitragem nacional

CBF anuncia novidades na arbitragem nacional

O novo Presidente da CBF, José Maria Marin, anunciou através de três Resoluções da Presidência (RPD) - de números 5, 6 e 7, novidades para a arbitragem brasileira, já atendendo aos clubes do Rio e São Paulo, que estiveram com ele no último dia 26, hipotecando apoio e pedindo melhorias no apito. Foi criada a Ouvidoria, ainda sem o nome do ouvidor, para tratar diretamente com os clubes, através das federações, das reclamações contra os árbitros, poupando o presidente da Comissão, Sérgio Corrêa, das explicações aos apaixonados presidentes de times que chegavam à CBF cuspindo fogo por erros dos apitadores. Caberá ao ouvidor conhecer as reclamações, analisar e depois, se necessário, punir o árbitro com afastamento, escolinha de regras e outras sanções. Criada a Corregedoria, também sem nome do corregedor. Ele terá a função de acompanhar a vida pessoal dos árbitros, ouvir e apurar denúncias de deslizes e comunicar ao STJD e, se for o caso, até a mesmo a Polícia Federal. A CBF em contra partida dará apoio social e psicológico aos árbitros para que consigam ter uma vida saudável para apitar bem. Foram criadas cinco categorias de árbitros: FIFA, Especial, CBF 1, CBF 2 e Especial 2, para ex-árbitros aspirantes a FIFA. O observador, passa a ser chamado de Assessor de Arbitragem e os novos que ingressarem no quadro, necessariamente precisarão ser ex-árbitro, fazendo todas as provas teóricas dos árbitros em atividade, para aprovação. São medidas necessárias, ampliando um olhar mais atento e cuidadoso aos indefesos apitadores, que sofrem com suas preparações solitárias, sem apoio teórico e hospitalar, sem profissão reconhecida em Brasília, e uma responsabilidade de decidir o campeonato. Certamente, as mães deles estão um pouco mais felizes com essas novidades e nós torcedores, esperançosos de ver arbitragens com menos erros. Aliás, aproveitando para cornetar, como se joga no gramado os jogadores brasileiros. Basta assistir os jogos da Libertadores das Américas e da Europa, para ver os brazucas se esparramando pelo chão em quase todos os choques. Os árbitros daqui marcam falta, os de fora, mando seguir o lance. É irritante. Já dizia um amigo meu lá da minha doce cidade de Formiga, "futebol é para homem, caiu levanta logo que vem mais".