Ursula Nogueira

Coluna da Ursula Nogueira

Veja todas as colunas

Executivo de Futebol: o profissional dos profissionais

05/05/2021 às 05:42
Executivo de Futebol: o profissional dos profissionais

A evolução do futebol fez surgir uma nova profissão nos últimos anos: os diretores executivos de futebol. E eles se tornaram fundamentais. São responsáveis por gerir departamentos, contratar reforços, planejar e administrar o orçamento dos clubes. 

Hoje, os times têm procurado profissionais especializados nesse tipo de gestão. E a crescente área agora busca espaço entre os cargos regulamentados no Brasil, afinal, pouco se vê, até entre os cartolas, quem aposte em um futebol hoje em dia sem esses executivos nos bastidores. 

Segundo dados da Associação Brasileira dos Executivos de Futebol (Abex), são quase 90 filiados, e a fila de interessados em fazer parte da área só aumenta. A Universidade do Futebol, um dos principais centros de formação da área, avalia ter formado nos últimos oito anos cerca de 2 mil alunos no curso de executivo do futebol. A CBF Academy também abriu uma turma voltada para essa finalidade. Entre os matriculados, 76% têm menos de 45 anos.

No Brasil, a profissão de executivo tem entre os expoentes nomes como Edu Gaspar, Rui Costa, Alexandre Mattos, Rodrigo Caetano, Anderson Barros, entre outros. 

Embora conhecidos do público e da imprensa pela atuação em buscar reforços, os executivos garantem que o trabalho é bem mais amplo que isso. A posição de comando tem um preço. A pressão é gigante. 

"Em um clube grande, em sete dias você joga três partidas e se arrisca a ser cobrado. Você precisa lidar com ingerência política, torcida e com uma mão de obra jovem, os jogadores", comentou o diretor do Atlético, Rodrigo Caetano.

Para o diretor executivo do Cruzeiro, André Mazzuco, “o diretor executivo surge para fazer a conexão das esferas política, administrativa e técnica. Por isso vem ganhando espaço, porque é um profissional que tem que ter a capacidade e conhecimento de transitar em todas as áreas e fazer a interligação, que é importante dentro do processo de um clube”. 

Segundo os dirigentes, o futebol brasileiro passou a ter mais figuras como executivos de futebol a partir dos anos 2000. Foi quando os clubes aumentaram a estrutura de departamentos, as comissões técnicas ficaram mais numerosas e passou ser necessário alguém gerenciar tudo isso com dedicação exclusiva, e não mais como voluntário.

Quer entrar na área?

Quem atua no mercado de executivos de futebol garante que não há um caminho certo para iniciar na área. Os cursos de formação são um caminho para se fazer contatos e conhecer um pouco mais sobre a área. Mas entrar no meio fechado do futebol ainda é um desafio.

"Um caminho importante é iniciar trabalhando nas categorias de base e investir na rede de contatos. Algo importante para um executivo é ter muito comprometimento e não se deixar levar por opiniões externas sobre o seu trabalho", comentou Rodrigo Caetano.

Mazzuco é otimista: “É um caminho que está sendo construído, e acho que, dentro da Abex e com todos os executivos se preparando cada vez mais, há a tendência de se ter uma qualificação no trabalho bem importante".

Foto: Pedro Souza/ Atlético | Youtube / TV Cruzeiro

Com informações de Ciro Campos| Estadão Conteúdo

Escreva seu comentário

Preencha seus dados

ou

    #ItatiaiaNasRedes

    RadioItatiaia

    Estudo terá 885 participantes a partir dos 16 anos de idade #itatiaia

    Acessar Link

    RadioItatiaia

    Paralisação será por tempo indeterminado. #Itatiaia

    Acessar Link