Ouça a rádio

Compartilhe

Divergência no Iphan sobre fábrica da Heineken agita bastidores da entidade em Minas

O desentendimento entre as "alas" tem ganhado ares oficiais nos últimos dias, com reclamações chegando a parlamentares e ao governo federal

Divergência no Iphan sobre fábrica da Heineken agita bastidores da entidade em Minas

Uma divergência interna na Superintendência do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Naciona (lphan) em Minas tem agitado os bastidores do órgão. De um lado, estão dirigentes que defendem maior celeridade na condução da instalação da nova fábrica da Heineken em Pedro Leopoldo, capitaneados pelo Coordenador Administrativo do instituto, Victor Lucchesi. Do outro, um grupo mais ligado a atual superintendente do instituto, Debora do Nascimento França.

No mês passado, o Iphan em Minas questionou junto ao governo estadual sobre o embargo feito à construção da fábrica da Heineken - na época, se descobriu que o local em que o empreendimento será feito fica próximo ao sítio arqueológico onde foi encontrado o crânio de Luzia, o fóssil humano mais antigo das Américas.

O desentendimento entre as "alas" tem ganhado ares oficiais nos últimos dias, com reclamações chegando a parlamentares e ao governo federal. 

À coluna, a assessoria de imprensa do Iphan em Minas negou qualquer desentendimento no órgão.