Ouça a rádio

Compartilhe

Lage cita a Conselho suposta ação de Adalclever em troca de instituto para campanha de Kalil

Lage cita a Conselho suposta ação de Adalclever em troca de instituto para campanha de Kalil

O ex-chefe de gabinete de Kalil, Alberto Lage, enviou, na manhã desta quarta-feira (13), uma nova manifestação ao Conselho de Ética da Prefeitura de Belo Horizonte, que já investiga uma denúncia apresentada por Lage envolvendo possíveis irregularidades cometidas pelo secretário de Governo, Adalclever Lopes. 

Na manifestação complementar, Lage mostra a conversa entre ele e um publicitário, que, segundo o ex-chefe de gabinete, seria o alvo de pressão por parte de Adalclever para realizar uma pesquisa de intenção de voto ao governo de Minas. O diálogo foi noticiado pela Rádio Itatiaia na última sexta-feira (8). 

Lage anexou a mensagem na nova manifestação, que mostra o publicitário, em 20 de março deste ano, enviando uma pesquisa feita pelo Instituto MDA e solicitando uma reunião na prefeitura. O ex-chefe de gabinete pontua que este mesmo instituto teria atuado na campanha à reeleição de Kalil por determinação de Adalclever. 

"Motivos não relacionados à minha atuação na prefeitura, mas à minha atividade profissional empresarial, me levam a saber que o instutito MDA tem relação com Adalclever Lopes, e que não é o fornecedor de preferência da agência. Como exemplo ilustrativo, ressalto que o instituto MDA foi fornecedor da campanha de Kalil por determinação de Adalclever, substituindo instituto que já havia sido contratado pelo diretório municipal do PSD", escreveu Lage. 

O ex-chefe de gabinete afirma que a informação pode ser conferida "na prestação de contas do diretório municipal do partido e na prestação de contas da campanha em si". A escolho do instituto teria sido feita por Adalclever em almoço na sede da agência em 19 de fevereiro de 2021. Lage diz ter estado presente no almoço.

Em outro trecho da manifestação, Lage diz ter ligado para o prefeito Alexandre Kalil na sexta. "Desbloqueei o prefeito Alexandre Kalil no aplicativo Telegram e liguei para o telefone pessoal dele para informá-lo que ele ainda era digno do meu respeito e que eu teria que desmenti-lo assim que tivesse acesso ao arquivo da pesquisa propriamente dita, dando a ele a oportunidade de corrigir a fala equivocada e evitar o constrangimento de ser desmentido por mim. A ligação ocorreu às 19h32 no horário local de Glasgow, na Escócia, onde eu me encontrava, durou cerca de um minuto e, após o contato, bloqueei o prefeito novamente", escreveu. 

Na sexta-feira, em nota, o publicitário firmou que não recebeu nenhuma solicitação de Pesquisa Estadual de nenhum funcionário da Prefeitura e que não realizou nenhuma Pesquisa em âmbito Estadual por meio do contrato com a Prefeitura de Belo Horizonte. Sobre a pesquisa enviada a Lage em março deste ano, Moreno relatou que o levantamento era de "caráter absolutamente particular, para subsidiar participação nas Concorrências da Assembleia Legislativa de Minas Gerais e do SEBRAE-MG, às suas próprias expensas", sem ter qualquer relação com a prefeitura.