Lucas Ragazzi

Coluna do Lucas Ragazzi

Veja todas as colunas

Política

Investigado por negociação paralela de vacinas, Dominghetti presta depoimento ao MPF em BH

Em agosto, a PM abriu um Processo Administrativo Disciplinar (PAD) para apurar a atuação do cabo no escândalo

22/02/2022 às 02:07
Investigado por negociação paralela de vacinas, Dominghetti presta depoimento ao MPF em BH

O cabo Luiz Paulo Dominghetti prestou depoimento, nesta segunda-feira (21), a procuradores do Ministério Público Federal (MPF) em Belo Horizonte. Ele é um dos investigados em inquérito que apura as negociações paralelas para a venda de vacinas contra a covid-19 para o Ministério da Saúde. O caso é conduzido pelo Núcleo de Combate à Corrupção do MPF.

Em outubro, o policial foi um dos indiciados pela CPI da Pandemia no Senado justamente por conta da condução dos contatos com representantes do governo. O relatório da comissão foi enviado ao MPF.  

Uma entrevista do cabo ao jornal 'Folha de S.Paulo' deu início a uma investigação na CPI sobre suposto pedido de propina feito por um diretor do Ministério da Saúde a uma empresa americana que estaria negociando vacinas. Dominghetti se apresentava como um representante da firma e teria sido o interlocutor ao qual o pedido de propina foi feito. 

A coluna teve acesso ao conteúdo do celular do policial, entregue à CPI em agosto. Além de vacinas, Dominghetti, mesmo atuando como policial, também negociava medicamentos, EPI's e outros itens.   

Em agosto, a PM abriu um Processo Administrativo Disciplinar (PAD) para apurar a atuação do cabo no escândalo, mas o procedimento continua em andamento. Dependendo da conclusão relatada no PAD, Dominghetti pode até ser expulso da polícia. O histórico de Dominghetti na PM, além do atual PAD, também possui passagens curiosas. Em 2014, o cabo foi condenado pela Justiça militar por ter capotado uma viatura da polícia mineira após ter dado um "cavalo de pau" com o veículo da corporação. 

Escreva seu comentário

Preencha seus dados

ou