Ouça a rádio

Compartilhe

Veto a emendas parlamentares gera 'chateação' em vereadores de BH

Bruno Miranda (PDT) diz ter seguido avaliações técnicas para avaliar as indicações

Veto a emendas parlamentares gera 'chateação' em vereadores de BH

O veto da Comissão de Orçamento em parte das emendas parlamentares indicadas pelos vereadores da Câmara de Belo Horizonte gerou certa insatisfação em membros da Casa.

Presidente do colegiado, o vereador Bruno Miranda (PDT) diz ter seguido avaliações técnicas para avaliar as emendas - ele contou com a consultoria legislativa da Câmara para o assunto, que atuou de forma rígida junto ao regimento interno da Casa.

"Entendo que possa haver algumas dúvidas já que é a primeira vez que temos a emenda impositiva e essa quantidade enorme de emendas, mais de 800. Mas estamos dialogando com todos que nos procuraram. Estive com o líder de governo, vereador Leo, reunido com vários vereadores que nos procuraram e tiveram dúvidas em relação a não aprovação das emendas no parecer", contou o pedetista.

Até a presidente da Casa, Nely Aquino (Podemos), teve uma emenda vetada. "A turma tá meio chateada de não conseguir direcionar a verba", contou um parlamentar. As emendas indicadas a entidades ligadas aos próprios vereadores que fizeram a indicação, como mostrou essa coluna, também foram rejeitadas.

Na sexta-feira (3), o secretário de Planejamento da Prefeitura de BH, André Reis, visitou gabinetes para discutir a questão. Parlamentares chegaram a pedir ao secretário que algumas regras não fossem aplicadas à risca - até por ser a primeira vez que a Câmara utiliza o sistema de emendas. 

Além de Bruno Miranda, fazem parte da Comissão de Orçamento os vereadores Alvaro Damião (DEM), Claudiney Dulim (Avante), Pedro Patrus (PT) e Marilda Portela (PL). 

Uma reunião no início da tarde desta segunda (6) está marcada para discutir a situação.