Lucas Ragazzi

Coluna do Lucas Ragazzi

Veja todas as colunas

Política

Após ataques ao Novo, deputado rebate colega de ALMG com foto de meias coloridas

Engler usou suas redes sociais para alfinetar o partido, dizendo que o Novo seria um "PSDB que passa creme nas pernas"

28/01/2022 às 02:58
Após ataques ao Novo, deputado rebate colega de ALMG com foto de meias coloridas

O deputado estadual Roberto Andrade (Avante) saiu em defesa do Novo, nesta sexta-feira (28), ao rebater ataques do colega de Assembleia, o deputado bolsonarista Bruno Engler (PRTB), contra o partido.

Ontem, Engler usou suas redes sociais para alfinetar o Novo, dizendo que o partido seria um "PSDB que passa creme nas pernas". Engler, depois, continuou os ataques ao Novo e seus filiados, listando uma série de itens que, para o parlamentar, seriam "requisitos para se filiar ao Novo", como possuir copo Stanley, calças apertadas e meias coloridas.

Andrade, que é da base governista na Casa, rebateu postando uma foto com uma meia colorida e alfinetando Engler. "Voltando pra minha terra Viçosa, cidade que recebeu meu colega de Assembleia Bruno Engler essa semana. Onde com liberdade ele foi defender seus ideais políticos. A propósito, usando minhas meias coloridas que tem feito muito sucesso. Gostaria de lembrar ao jovem deputado Brunão que o direito de se vestir livremente é único, pessoal e também faz parte da liberdade de expressão que ele tanto defende", escreveu o parlamentar. 

Engler tem sido considerado um deputado mais hostil ao governo de Minas desde que apresentou o projeto que altera o cálculo do IPVA - o texto acabou gerando um novo episódio de conflito entre deputados estaduais e o governo de Minas. No plenário, o deputado bolsonarista chegou classificar Zema como "liberal de Taubaté", fazendo referência a um meme da internet. 

Aliás, Engler também se envolveu em outra polêmica nesta quinta-feira (27), ao usar as redes sociais para expor uma cientista política negra de Belo Horizonte. O deputado, usando uma imagem que já vinha sendo compartilhada por membros do governo federal, ironizou a classificação de especialista em segurança pública da cientista. À coluna, a assessoria da deputada estadual Andreia de Jesus (PSOL), presidente da Comissão de Direitos Humanos da ALMG, disse que a parlamentar não iria se manifestar sobre o caso.

Escreva seu comentário

Preencha seus dados

ou