Ouça a rádio

Compartilhe

Justiça anula, em 1ª instância, eleição de Kalil como presidente da Frente Mineira de Prefeitos

A nova diretoria da FMP, encabeçada pelo prefeito de BH, vai recorrer da decisão

Justiça anula, em 1ª instância, eleição de Kalil como presidente da Frente Mineira de Prefeitos

A Justiça estadual anulou a eleição que colocou o prefeito Alexandre Kalil (PSD) como presidente da Frente Mineira de Prefeitos (FMP). Na decisão, o juiz Henrique Mendonça, da 33ª Vara Cível de BH, afirmou que o pleito não teria respeitado as regras do estatuto da entidade. A nova diretoria da FMP, encabeçada por Kalil, vai recorrer da decisão.

"Dentro deste, é inevitável reconhecer, neste momento processual, vícios que maculam a eleição dos membros da Diretoria da Frente Mineira de Prefeitos realizada no dia 12 de agosto de 2021, por intermédio de reunião virtual convocada sem observância dos requisitos previstos no Estatuto. Razoável, em consequência, determinar asuspensão dos efeitos da reunião promovida, que elegeu a atual diretoria da Frente Mineira dos Prefeitos", escreveu o juiz. 

Além da anulação, a Justiça determinou que, num prazo de 30 dias, o ex-presidente da FMP, o ex-prefeito de Contagem Alex de Freitas, convoque uma nova eleição da entidade para os cargos diretivos. A ação contra a eleição da FMP foi feita pelo prefeito de Coronel Fabriciano, Marcos Vinicius Bizarro (PSDB). 

A condução da FMP é vista pela equipe de Kalil como estratégica, uma vez que possibilita viagens e agendas do prefeito de BH pelo interior do Estado, já pensando na campanha a governador no ano que vem.