Ouça a rádio

Compartilhe

Velhos, poderosos e safados

Velhos, poderosos e safados

Ainda menino, muito longe do tempo do politicamente correto, já evitava usar a palavra velho para designar pessoa com idade avançada. Por muitos motivos, mas, especialmente em respeito à individualidade dos seres humanos, ou seja, muitos homens de 70 anos têm hoje mais condição física que outros de 40.

Além disso, numa sociedade cruel como a nossa, na qual quem deixa de produzir é relegado a um plano inferior, perde salário, espaço e consideração, já é sofrimento demais ser idoso, imagina se ainda acrescentarmos o sentido de usado, ultrapassado.

No entanto, alguns homens são velhos mesmo, no pior sentido... Refiro-me, por exemplo, aos que, depois de 60 anos ou mais de vida encontram coragem e disposição para praticar violência sexual contra crianças. Pior ainda que os pedófilos – porque estes são doentes – considero alguns senhores de terno e gravata que se apegam ao poder como se isso lhes rendesse o céu e ao dinheiro como se caixão tivesse gaveta.

Infelizmente, no nosso Congresso Nacional existem velhinhos que não deixam o osso enquanto conseguem respirar. E, embora a instituição que representam nos mereça todo o respeito, não dá prá adjetivar esses infelizes sem pensar em safadeza.

Fiquemos apenas no Pedro Novais, o último a ser expurgado do ministério de Dilma por conta de malandragem. Quando indicado para o cargo, ele já enfrentou uma denúncia de estremecer as pirâmides do Egito: usara verba de gabinete da Câmara para pagar mais de dois mil reais por uma noitada em motel de São Luís. Devia ser o bastante para ele se envergonhar, o seu partido ter o mínimo de decência ou simplesmente a presidente impedir a posse.

Mas, em nome da governabilidade, ou seja, para ter votos no Congresso, aprovação das matérias de interesse do país, a presidente precisa negociar com essa gente. Novais entrou. Recentemente, algumas dezenas de amigos dele foram presos por um sem número de denúncias. Ele fingiu-se morto. Ou de folga no motel. Aí vieram outros escândalos: pagava a governanta com dinheiro do povo e a mulher usava motorista empregado na Câmara.

Tem jeito de tratar um velho desse com respeito? E o líder dele, o eterno cacique Michel Temer que, quando cai um de sua turma, já tem uma lista de outros, de igual currículo? E, se acontecer algo grave à presidente e a gente tiver esse “chefe” da turma peemedebista como presidente? E os colegas de Temer e Novais que representam Minas no Congresso, não se envergonham? Que nojo!