Ouça a rádio

Compartilhe

Vamos apoiar o senador!

Vamos apoiar o senador!

"Há homens que lutam um dia e são bons, há outros que lutam um ano e são melhores, há os que lutam muitos anos e são muito bons. Mas há os que lutam toda a vida e estes são imprescindíveis". Sempre que penso nesta frase, de Bertold Brecht, penso em algumas pessoas que não nos deixam cair em desânimo absoluto nesses tempos de inversão de valores e omissão generalizada em relação ao bem comum.

Cristovam Buarque é um desses brasileiros que mantêm viva nossa esperança de justiça social. A trajetória do hoje senador é tão coerente que, quando concorreu à presidente da República, foi chamado de candidato de uma nota só. Mas, qual é o problema se ele só fala em Educação? E do que mais precisamos, para garantir que o futuro será realmente promissor?

Ele agora está hasteando a bandeira mais lúcida em relação aos recursos do pré sal. Quer a criação de um fundo com todo o dinheiro arrecadado e que os rendimentos sejam investidos em educação, distribuindo para os municípios proporcionalmente ao número de alunos na escola pública.

Já tentou, no ano passado, em conjunto com o  senador Tasso Jereissati, mas, “meus colegas nem leram o projeto e ele foi arquivado”. Agora, junto com o paulista Aluísio Nunes, Cristovam tenta de novo, argumentando que o petróleo acaba e o melhor é transformar sua energia em vitamina de cérebros, pois, “petróleo é lama, suja, podre, e o que o torna valioso é a inteligência humana, a engenharia para detectar, perfurar, transformar, refinar, distribuir; é a inteligência que constrói motores movidos à gasolina”.

O professor, ex-reitor da UNB avisa que se construirmos prédios, estádios, fizermos obras, estaremos cometendo um crime contra as futuras gerações. “Vamos fazer do mesmo jeito que fizemos com o ouro”, afirma, “acrescentando que, em um só ano, retiraram mil toneladas de ouro do Brasil, das quais alguma coisinha ficou em nossas igrejas e o grosso foi para a Inglaterra, financiar a Revolução Industrial. Ainda que você não goste do senador, existe alguma idéia melhor?

Afinal, considerando que o pré sal é uma surpresa, é uma riqueza com a qual não contávamos, por que, então, não ignorá-la para nossos problemas do dia-a-dia e investir tudo no futuro? Por que não garantir de vez a erradicação do analfabetismo, que ainda assombra 14 milhões de brasileiros? Por que não garantir educação de qualidade, salário digno para professores, futuro de verdade para todos os que vão tocar a quinta economia do mundo?