Ouça a rádio

Compartilhe

Pobres cidades ricas

Pobres cidades ricas

Mariana é uma cidade muito rica. Do ponto de vista da cultura, principalmente. Basta dizer que é a primeira cidade de Minas. Timóteo é uma cidade muito rica. Do ponto de vista do econômico, principalmente. Basta dizer que é uma das jóias do nosso desenvolvido Vale do Aço. Mas, o que une Mariana e Timóteo nesse momento não é a comemoração de bons resultados, alta qualidade de vida de seus habitantes ou perspectivas de um 2010 cheio de progresso. Mariana e Timóteo sofrem com a chamada descontinuidade administrativa, por conta de irregularidades que enojam. Mariana empossou anteontem a candidata que perdeu as últimas eleições quando representava o marido, morto durante a corrida eleitoral por adversário que queria o poder a qualquer custo. Não conheço essa senhora, mas dizem que o marido dela, João Ramos, quando prefeito por muitos mandatos, era retrato do atraso. De qualquer forma, dona Terezinha assumiu no lugar de Roque Camelo, afastado pela Justiça Eleitoral em terceira instância (Tribunal Superior Eleitoral) e fica no cargo até que se resolva a situação dela, também já cassada pelo juiz de Mariana (em primeira instância). Haja recurso. O caso de Timóteo é mais chocante. Em cinco anos, dez prefeitos já passaram pelo comando do município. O último saiu agora sob acusação de ter usado a condição de médico para oferecer benefícios indevidos durante a eleição. Ele nega. Só que o adversário, agora no poder, diz que os abusos eram tantos que um caminhoneiro pediu uma guia de raios x para o joelho doente e recebeu autorização para fazer nos dois. Depois da posse, a mulher dele espera há um ano autorização para um exame. Êta Brasil!