Ouça a rádio

Compartilhe

Piscina cheia de ratos

O Senado vai gastar 24 mil para ressarcir despesas odontológicas da ex-senadora Ana Júlia Carepa, do PT do Pará.

O que mais impressiona a quem conhece minimamente os bastidores do poder é a diferença entre discurso e prática. Anunciam cortes orçamentários, pregam o fim do mundo e negam verbas a hospitais e escolas, mas, no dia a dia, não apenas em grandes escândalos como o da Petrobras, mas, em detalhes, em licitações às quais ninguém dá importância, o nosso suado imposto vai pelo ralo. Acho a criação de sites um grande avanço na vida brasileira: o “Congresso em Foco” e o “Contas Abertas” que fazem, para os brasileiros sem tempo ou interesse, pesquisas extremamente importantes sobre como o governo funciona de fato.

Agora, por exemplo, o “Contas Abertas” está publicando que as duas visitas semanais dos responsáveis pela limpeza das duas piscinas do Palácio Jaburu, onde mora o vice-presidente da República, custam R$, 7,8 mil por ano. Ou seja, mais de 620 reais por mês... O Senado vai gastar 24 mil para ressarcir despesas odontológicas da ex-senadora Ana Júlia Carepa, do PT do Pará. Lá, na casa presidida por Renan Calheiros, o limite anual para despesas médicas, psicológicas, odontológicas e de fisioterapeutas para “ex” senadores é de 33 mil reais por ano. Já no caso de senadores em exercício de mandato, não há limite para despesas médicas. Os dispêndios do atendimento do parlamentar, do cônjuge e de seus dependentes com até 21 anos, ou até 24, se universitários, são pagos pelo governo. Neste caso, o limite anual de R$ 26 mil para despesas odontológicas e psicoterápicas. Outro gasto previsto, essa semana, pela Casa é o pagamento de R$ 22,5 mil à maestrina, Glicínia Mendes, pelos serviços de regência no coral do órgão. O valor refere-se ao trabalho realizado de janeiro ao meio de abril deste ano.

Mas, não é só o Senado. O Ministério das Relações Exteriores vai gastar 80 mil com dois eventos de entrega de medalhas. Por isso é que a gente não pode se esquecer dos grandes poetas, como Cazuza, que escreveu:

“...Transformam o país inteiro num puteiro, pois, assim se ganha mais dinheiro; a tua piscina tá cheia de ratos; tuas ideias não correspondem aos fatos; o tempo não pára”.