Eduardo Costa

Coluna do Eduardo Costa

Veja todas as colunas

Mais Notícias

Os dois quintos dos infernos

Os dois quintos dos infernos

06/05/2013 às 02:13

Seguramente, você já ouviu alguém mandar outra pessoa para “os quintos dos infernos”. O que pouca gente sabe é a origem de mais essa expressão bem brasileira, cunhada no meio do povo e incluída em nossos dicionários. Até o século XVII, enquanto a Espanha saqueava todo o ouro dos países que colonizara na América Latina, o Brasil continuava deficitário para Portugal.

De repente, descobriram o ouro e a colônia se tornou a jóia da coroa. Já naquele tempo, o brasileiro era obrigado a pagar muito imposto. Havia a “capitação” – cobrada de todos os senhores que tinham escravo e pelos negros foros ou livres e os brancos pobres que trabalhavam com as próprias mãos; o “quinto”, que era a quinta parte de todo o ouro extraído no Brasil; a “derrama”, que era o recolhimento de todo o ouro ou bens feitos de ouro dos chamados homens bons até que se completassem 100 arroubas e ainda mais 10 por cento de tudo que se produzia a título de “dízimo” para a igreja católica. De todos, o mais odiado era o quinto – daí, nasceu a expressão “os quintos dos infernos”, que passou imediatamente a ser sinônimo de tudo que é ruim.

Quando a Coroa resolver cobrar os atrasados – a derrama – os mineiros perderam a paciência, se revoltaram e nasceu a nossa Inconfidência. Seu principal líder, Joaquim José da Silva Tiradentes, foi preso e decapitado. Agora, tanto tempo depois, o Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário, estima que a carga tributária brasileira esteja por volta de 38 por cento, ou, dois quintos de nossa produção. É isso, já estamos pagando “dois quintos dos infernos” de impostos diretos e indiretos, para municípios, estados e a União.

E, concomitantemente, pagamos para ter segurança, escola, médico, tudo o que é básico na vida. Fica a sensação de que apenas trocamos de Coroa e que continuamos sustentando vidas nababescas, com castelos, banquetes, jatinhos, um Carnaval o ano inteiro. Eu tenho certeza absoluta de que não sei mais que 10 por cento das coisas erradas que acontecem nesse país. E tenho também a convicção de que, se a maioria dos brasileiros da época da “derrama” soubessem 10 por cento do que já presenciei, ouvi ou vi eles diriam numa única voz: “Quem participa desse sistema, quem se locupleta direta ou indiretamente do jeito de administrar esse país, vai queimar um dia nos dois quintos dos infernos”.

Escreva seu comentário

Preencha seus dados

ou

    #ItatiaiaNasRedes

    RadioItatiaia

    O homem estava sem capacete e foi localizado com vários ferimentos na região da cabeça #itatiaia

    Acessar Link

    RadioItatiaia

    Ao todo, mais de 148 milhões de brasileiros já foram vacinados com a primeira e segunda vacina #itatiaia

    Acessar Link