Eduardo Costa

Coluna do Eduardo Costa

Veja todas as colunas

Mais Notícias

Greve esquisita

Greve esquisita

06/05/2013 às 02:13

Eu digo sempre que jamais vão me insurgir contra as greves de servidores públicos por um motivo muito simples: o dinheiro desperdiçado é infinitamente maior que o necessário para corrigir salários e promover os ajustes necessários, de tempos em tempos, para determinadas categorias profissionais. Vejamos um caso concreto, agora, em que se discute o veto da presidenta Dilma Roussef a uma emenda constitucional de deputado paraense que renderia algumas centenas de milhões de dólares para Minas Gerais: o silêncio dos 53 deputados mineiros em Brasília é assombroso, bem como o de dois senadores. O terceiro, Aécio Neves, tem criticado o veto, mas, um passarinho me contou que, 15 dias atrás, ele almoçou com o presidente da Confederação Nacional da Indústria, o presidente da Vale do Rio Doce e o presidente do Instituto Brasileiro de Mineração quando teria dito que, do ponto de vista técnico, o veto seria correto e, quando publicado não teria maiores críticas de sua parte. Então, a gente fica sem saber qual é o Aécio no qual devemos acreditar. Também a reação do governador de Minas é tímida, para dizer o mais simples. Então, como aceitar, ano que vem, o discurso que não há dinheiro para corrigir os salários dos professores? Mas, há uma greve que me incomoda em particular por alguns detalhes: é a paralisação das atividades dos agentes, escrivães e papiloscopistas (especialistas em identificação) da Polícia Federal. Chamou minha atenção o fato de que os delegados e peritos não pararam. Então, fui conversar e me contaram que, quando pedem um plano de carreira, agentes querem mais poder, isto é, cargos de direção, mediante alegação de que têm curso superior, assim como os delegados e peritos. Ora, até que me provem o contrário, não faz sentido um agente mandar num delegado. Ou estou errado? Mas, se não estiver equivocado, isto contraria a Constituição Federal, o Código de Processo Penal e a lógica de todas as leis... Então, se a moda pega, como agora a Polícia Militar de Minas exige curso superior para os candidatos ao posto de soldado, é de se esperar que um destes venha a ser o comandante-geral da Corporação? Fiquei mais intrigado ao saber que o governo ofereceu um aumento de 3mil reais, elevando o salário inicial para R$ 10.500,00. Gente, nós estamos no Brasil... O salário mínimo entre nós é de R$ 626,00. Muito cuidado com a areia movediça da democracia!

Escreva seu comentário

Preencha seus dados

ou

    #ItatiaiaNasRedes

    RadioItatiaia

    O prêmio de R$ 1,5 milhão não é reajustado há 12 anos pelo programa

    Acessar Link

    RadioItatiaia

    Operações foram interrompidas devido às fortes chuvas que atingiram o Estado nas últimas semanas

    Acessar Link