Ouça a rádio

Compartilhe

'Em nome do Senhor'

Uma das primeiras coisas que aprendi nas delegacias de polícia por onde perambulei durante três décadas atrás da notícia é que só existe estelionatário...

Uma das primeiras coisas que aprendi nas delegacias de polícia por onde perambulei durante três décadas atrás da notícia é que só existe estelionatário porque existem pessoas de “olho grande”. Em princípio achei que era exagero, mas, o tempo é senhor da razão. Quando escuto que ainda hoje tem gente caindo no golpe da tampinha em ruas movimentadas de Belo Horizonte ou se deixando levar pelo bilhete premiado fico me perguntando se a safadeza será eterna, considerando que a ambição humana com certeza não tem data para acabar. 

Vejam a carta abaixo, que recebi por e-mail... Detalhe: não é a primeira. Você já deve ter recebido também. É mais fácil ganhar na “mega” acumulada logo mais que esperar dinheiro da “dona Rita”, que escreve:

“Caro Amigo. Saúdo-vos em nome do senhor. Eu sou Sra.Rita Adams de ilhas salomão. Sou casada com o Sr. Williams Adams, meu marido trabalhou com Chevron / Texaco na Costa do Marfim por vinte anos antes de morrer, em 15 de agosto de 2006. Estávamos casados há onze anos sem uma criança. Ele morreu após uma breve doença, que durou apenas quatro dias. Nunca antes de sua morte, fomos ambos cristãos nascidos de novo e ter semeado em muitos ministérios. Desde sua morte, decidi não voltar a casar, mas se sentindo muito solitário se não o senhor que tem sido meu parceiro e consolador. Quando o meu falecido marido era vivo ele depositou a quantia de us $ 2,5 milhões de banco com um na costa do Marfim. Atualmente esse dinheiro ainda está sob a custódia do banco em Costa do Marfim. Recentemente, meu médico me disse que eu não iria durar para os próximos cinco meses, devido ao problema do câncer. Ter conhecido a minha condição eu ter decidido doar o fundo a uma igreja, organização ou pessoa boa que vai utilizar esse dinheiro da maneira que eu estou indo para instruir aqui. Eu quero uma igreja, organização ou pessoa boa que vai usar esses fundos para ajudar os órfãos, viúvas e outras pessoas que precisam de ajuda financeira. Usar parte desse dinheiro para oferecer facilidades para o deus,  trabalho, levar o evangelho a altura maior é o meu maior motivo de doar este fundos para fora. A bíblia nos fez entender que "bendito seja a mão que dá." Eu tomei essa decisão porque não têm qualquer filho que herdará esse dinheiro e parentes do meu marido não são cristãos e que tinha sido eles desejo de ver meu marido morto, a fim de que eles possam herdar sua fortuna, já que não tenho filho.”

Então, se você está interessado, fique à vontade… Responda em meu nome para dona Rita que, jura, lhe dará o contato do banco em Costa do Marfim e uma carta de autorização para você retirar a grana. 

Quanto a mim, duvido até quando uma mocinha me aborda na rua e diz “querido!”… Penso logo no que ela pode estar querendo… E, como chamo José Eduardo da Costa, quando ligam lá em casa perguntando por sô José vou logo avisando que morreu há uma semana… Até hoje ninguém lamentou do outro lado da linha.