Ouça a rádio

Compartilhe

Em memória de dona Delizete

Em memória de dona Delizete

Foram necessários dezesseis anos. E quem mais gritava por justiça não está mais entre nós. Mas, com toda certeza, dona Delizete Carnaúba está comemorando em outro plano. Finalmente, está na cadeia o primeiro dos dois marmanjos que faziam um “pega” quando mataram cinco pessoas e destruíram a família dela. A filha Adriana, de 31 anos, as netas Victória, de três, e Theodora, de sete meses; o genro Júlio Cesar, de 32, e a tia Belinha, de 93 anos, morreram na hora. As vítimas estavam em fusca que foi colhido por uma blazer, conduzida pelo empresário Ismael Lott. Ele fazia um “pega” com o médico Ademar Cardoso e provas não faltam. Primeiro, muitas pessoas ouviram os dois discutindo sobre a excelência de seus veículos, desafiando-se mutuamente e decidindo pela disputa a fim de se saber quem sairia melhor. Além disso, estudantes que passeavam pela estrada gravaram em vídeo os dois carrões em alta velocidade momentos antes do acidente. Em 2004, o empresário Ismael Lott foi condenado por homicídio doloso a 16 anos de prisão. O médico Ademar Cardoso foi condenado a 12 anos e nove meses. Embora repugnante, e considerado doloso – quando há intenção de matar – o “pega” continuava sem punição até anteontem, por conta do sem números de recursos. Mas, como tudo um dia tem solução, o médico foi preso... Pode até ser que fique só alguns dias. Mas, em memória de dona Delizete e de seus amados, chegou o dia dele. E isso me anima muito. É o julgamento do mensalão em Brasília, o caso Bruno em Contagem e o doutor de Mar de Espanha na cadeia... Aos poucos, nossa indignação vai dando lugar à esperança e o sentimento de impunidade clama por uma ação mais efetiva, de cada um de nós, para por ordem na casa, na rua, no bairro, na cidade e no país. É isto ou a gente não vai deixar um bom ambiente para nossos filhos e netos. A tragédia de Mar de Espanha tem de ser um divisor de águas. Ontem mesmo a polícia anunciou a descoberta do responsável pelo atropelamento e morte de uma senhora domingo último em pleno da cidade, tendo fugido após o acidente. Detalhe: anos atrás, o mesmo cidadão foi detido por dirigir alcoolizado. Chega! Dona Delizete fez a parte dela. Vamos fazer a nossa!