Eduardo Costa

Coluna do Eduardo Costa

Veja todas as colunas

Mais Notícias

Eles mereciam apanhar

Eles mereciam apanhar

06/05/2013 às 02:13

Ontem foi um dia cheio de disse me disse envolvendo o jogo da noite de quarta. Enquanto, em Minas, as opiniões se dividiam sobre a ação da PM na Arena Independência, nos comentários dos cronistas esportivos das redes de TV, baseados no Rio e em São Paulo, havia convicção de que houve erro e despreparo. Com a autoridade de quem conhece bem a nossa polícia e relativamente as coisas do futebol, quero usar minha corneta para também palpitar. Acho que a coronel Claudia Romualdo foi de uma felicidade ímpar ao se manter fria e profissional para lidar com aquele bando de arruaceiros travestidos de jogadores de futebol. Não há aqui agressão aos argentinos, povo vizinho e irmão. Refiro-me aos fracos jogadores do Arsenal que levaram dez gols em dois jogos e, no lugar da vergonha, tiveram o atrevimento de promover uma baderna. Eu estava lá, no campo, vi quando o juiz apitou o fim do jogo e eles foram para cima do paraguaio, qual bando de hienas em busca de uma carniça. Diante dos primeiros policiais que se postaram entre agressores e alvo eles não se intimidaram e foram para cima. Rápida e estrategicamente, mais policiais entraram em campo. Então, imaginamos que iriam se comportar... Que nada! Não os intimidaram nem as armas nas mãos dos soldados, nem a ordem de recuar... Pareciam loucos. E foram para o vestiário quebrando, encarando... Acertaram a cabeça de um jornalista e o peito da comandante. Só pararam quando perceberam que sua volta para casa poderia ficar comprometida. E foi exatamente o atraso no voo a única consequência concreta que tiveram. A PM agiu como Corporação preparada. Aguentou provocações, agressões, tolerou o intolerável e fez tudo de acordo com a lei. Já disse no rádio e na TV e repito aqui: fosse eu o comandante daquela operação e eles teriam apanhado demais, ainda que isso significasse a minha destituição, considerando que nosso país hoje é frouxo e quem toma atitude corajosa recebe punição no lugar dos infratores. Que pena. Fico longe do estádio e quando volto, numa noite de festa, pura magia de um futebol envolvente do meu Atlético, tive de assistir a um espetáculo grotesco. Mas, com a direção comprometida que a CBF tem nas últimas décadas e a estrutura arcaica e ultrapassada da Confederação Sul Americana de Futebol, temos de assistir a isso. Qualquer bando de loucos, no gramado, no vestiário ou na arquibancada estraga a noite da gente.

Escreva seu comentário

Preencha seus dados

ou

    #ItatiaiaNasRedes

    RadioItatiaia

    Democrata governa com maioria apertada no Congresso

    Acessar Link

    RadioItatiaia

    De 18 casos identificados no Brasil, dois resultaram em morte

    Acessar Link