Eduardo Costa

Coluna do Eduardo Costa

Veja todas as colunas

Mais Notícias

E chegou o dia

E chegou o dia

06/05/2013 às 02:13

Nunca, na história do Tribunal de Júri de Minas, houve um dia tão aguardado. Muito provavelmente, em nenhuma outra oportunidade, o fato de alguém ser colocado no banco dos réus mobilizou tanto a opinião pública do Estado e, mais, a do país inteiro e até do exterior. É quase certo que não há registro de relações tão conflituosas entre os três principais atores desse grande teatro que são a juíza, o promotor e os advogados de defesa. Bruno vai estar lá, ouvindo tudo, enquanto o filme mais impensável por nós passa por sua cabeça: de novo, ele no centro das atenções. Em volta, não há colegas de time e adversários cujas intenções ele conheça bem; na plateia não existem milhares a ovacioná-lo, mas, algumas dezenas que roem as unhas na expectativa do veredito. O moço que nasceu pobre, sem família estruturada, venceu na vida por puro talento, mas, sem acompanhamento de alguém experiente, seguiu andando em companhias pouco recomendáveis, acabou dividindo a melhor idade – a da juventude – entre dois opostos: sucesso absoluto na profissão, como goleiro de um time campeão do Brasil, desejado por grandes clubes de futebol do mundo, e, concomitantemente, comportamento de risco na vida pessoal, com amizades interesseiras, falsos amigos, mulheres fugazes, enfim, convivências artificiais. De tanto procurar, achou encrenca. Transou sem camisinha, recusou-se a ser homem e assumir o filho, maltratou aquela com quem se deitou, aconselhou-se com quem não devia e, finalmente, por ato ou omissão, está no paredão e, no caso, o desfecho é diferente do Big Brother: se ganhar, sai; se perder, volta para a casa... A casa do isolamento, do sol quadrado, sem glamour e sem bajuladores. Vamos ter dias de movimentação espantosa na Praça do Fórum em Contagem. Veículos de comunicação disputando a qualquer preço a audiência, advogados brigando por aparecer um segundo na “telinha”, os novos “especialistas” surgindo de todos os lados e os curiosos se revezando na vigília mais cruel: à espera do veredito, na discussão sobre o tamanho da pena. Tudo é muito triste, trágico, mas, como devemos sempre ver o lado bom das coisas, essa é a hora de mostrar aos filhos que a vida é feita de escolhas e que, se por um lado Ele nos dá o livre arbítrio, por outro Deus – que é justo e bom – permite a colheita, do bem ou do mal. Depende de nós.

Escreva seu comentário

Preencha seus dados

ou

    #ItatiaiaNasRedes

    RadioItatiaia

    A suspeita é de que a vítima estava em alta velocidade #itatiaia

    Acessar Link

    RadioItatiaia

    O homem estava sem capacete e foi localizado com vários ferimentos na região da cabeça #itatiaia

    Acessar Link