Ouça a rádio

Compartilhe

Drogas, criminalidade e violência

Drogas, criminalidade e violência

Com o título acima, a Assembléia Legislativa realiza, a partir de hoje, um fórum daqueles que deveríamos ter com mais freqüência nas casas que discutem as dificuldades de hoje e as perspectivas de amanhã. Afinal, é inquestionável que essas três palavras assustam hoje o país e, em certas ocasiões, superam até as históricas preocupações com saúde e educação. São 67 organizadores, entre entidades da sociedade civil, órgãos públicos e instituições, que coletaram informações em todo o Estado – a partir de 11 audiências públicas realizadas nas mais diversas regiões. Com subsídios reais, porque vêm de quem sofre no dia-a-dia e especialistas cuidadosamente selecionados, o debate promete. Entre seus principais objetivos estão a promoção de reflexão sobre os resultados dessas audiências; a discussão de desafios impostos pela criminalidade, em especial pelo crime organizado e pelo tráfico de drogas, à sociedade e à atuação do Estado, com vistas à melhoria das políticas de segurança pública e à integração de esforços atores envolvidos no sistema de justiça criminal; discutir as políticas de prevenção à criminalidade e ao uso de drogas sob a perspectiva da intersetorialidade com outras políticas públicas; avaliar as políticas públicas de tratamento à dependência química, refletindo sobre as possibilidades de interface com a experiência das comunidades terapêuticas e de outras iniciativas desenvolvidas pela sociedade civil e discutir a vitimização de grupos sociais vulneráveis às diversas formas de violência. Parabéns à Comissão de Segurança Pública que coordena os trabalhos e cumpre o dever do legislativo: discutir à exaustão o que nos incomoda e buscar soluções com quem deve tê-las.