Ouça a rádio

Compartilhe

Arrogância

Tenho insistido e não é de hoje que o maior problema da governança no Brasil é a arrogância. Claro que temos centenas de outros aspectos...

Tenho insistido e não é de hoje que o maior problema da governança no Brasil é a arrogância. Claro que temos centenas de outros aspectos, como falta de foco, de responsabilidade, de trato com a coisa e o dinheiro público, mas, a simplicidade tão essencial à vida é algo inexistente nos manuais de boa administração. Tanto é verdade que em toda repartição há sempre enorme cartaz com letras garrafais advertindo que desacatar servidor é crime; no entanto, nunca li algo lembrando ao que tem salário pago por nós e está ali para nos servir de nos tratar pelo menos com respeito. Agora mesmo vejo pessoas desesperadas porque esperam perícias há três, quatro meses e descobriram que, além da greve dos servidores, também os médicos cruzaram os braços... Quando perguntam sobre o futuro, ouvem, no máximo um “é só remarcar”.

Ontem, mostramos na TV Record algo que é definitivo em termos de ausência de seriedade por parte do poder público. Uma senhora procurou a Polícia Civil pedindo providências contra duas golpistas que, aproveitando da idade e da boa fé da mãe, pediram para fazer xixi e roubaram dinheiro e documentos, gerando prejuízo que já passa de 20 mil. A contribuinte ouviu que deveria, ela mesmo, correr atrás. Foi o que fez. Agora, com filmes de câmeras de segurança, ela tem o roteiro de compras das bandidas que, combinado com o extrato do cartão, traz uma extensa lista de compras. Mais: a vítima já identificou as mulheres. Nem assim obteve uma resposta decente. Pior: a produção da TV pediu uma nota e a Assessoria da Polícia Civil diz que só poderá  se posicionar depois de ouvir o delegado responsável pela apuração. Mas, que apuração? Que delegado? Quem vai socorrer essa senhora, se Chapolim Colorado morreu?

Lembrando que se você entrar numa delegacia correndo para pedir socorro e estiver sem camisa, de bermuda ou de chinelo de dedo é bem capaz de ouvir uma bronca do tipo “vai se vestir adequadamente e depois volta”.

Gente, olha a arrogância de algumas parlamentares (eu disse elas) que, possivelmente enciumadas, decidiram criar normas para impedir decotes e roupas mais ousadas no Congresso. As funcionárias responderam com um slogan lapidar: “Cuida do seu decoro que eu cuido do meu decote”.

Pensa no núcleo duro dos petistas. Dilma sempre foi arrogante... Lembro-me dela ministra das Minas e Energia com cara fechada. Melhorou um pouco quando precisou de voto. Zé Dirceu, quando ministro, parecia o dono do mundo de nariz empinado sem olhar para os jornalistas... E Mercadante é disparadamente o pior; difícil até conversar com os deputados, dos quais precisa... Colocaram nosso país no SPC e ainda se acham... Que patota, viu!