Eduardo Costa

Coluna do Eduardo Costa

Veja todas as colunas

Mais Notícias

Abdelmassih fará bem ao Brasil

Esse Abdelmassih, mais que qualquer outro terráqueo, tem no sangue a mistura do bem e o demoníaco.

25/08/2014 às 09:35


Calma! Não sou diferente de todos os brasileiros que estão estupefatos com esse infeliz que personifica mais que ninguém a estória que começou no livro, virou filme e ganhou o mundo com o título “O médico e o monstro”, romance de Robert Louis Stevenson de 1886. Esse Abdelmassih, mais que qualquer outro terráqueo, tem no sangue a mistura do bem e o demoníaco. Mas, a descoberta de seus atos inacreditáveis ajuda o país a crescer. Primeiro porque, condenado a 278 anos de prisão, por ter cometido (pelo menos) 52 estupros e atentados ao pudor contra suas pacientes, ele dificilmente morrerá fora da cadeia. Afinal, mesmo que a condenação esteja sujeita a recursos e mais recursos, a prisão preventiva não deve cair mais: o “doutor” já fugiu uma vez e ficou três anos longe das grades. E, por mais que diminuam a pena, que inventem situações e mais situações, não há como pensar em qualquer pena inferior a 30 anos.

Assim, o primeiro grande bem que esse “médico-monstro” pode fazer para o país é de a gente tirar a limpo, de uma vez por todas, se alguém vai ou não cumprir 30 anos de cadeia – a nossa pena máxima. Afinal, ainda que apareçam os irritantes benefícios que abundam em nossa legislação, serão todos considerados sobre 278 anos. Para ficar ainda mais claro: nos crimes hediondos o réu deve cumprir 40% da pena, para conquistar o direito de progressão. Mas 40% de 278 anos significam 111 anos (há impossibilidade física e jurídica desse cumprimento).
Mas, há outro aspecto melhor ainda, quer dizer, os atos tresloucados desse infeliz proporcionaram ao Brasil descobrir que ninguém aguenta mais tanta indecência. Aquelas senhoras, ricas, instruídas, de peito aberto, rosto na TV, vaiando, chorando e dizendo que o querem na cadeia até a morte é algo absolutamente novo entre nós. Estamos acostumados a ver em público apenas os dramas dos pobres, desvalidos.

Quando aquelas mulheres foram para o aeroporto e se expuseram, elas deram um recado tão importante quanto o das manifestações no ano passado: que nossos governantes se mexam alterando as leis, dando um basta à farra dos sem limites. Um especialista em reprodução humana mais que famoso sedar as clientes e abusar sexualmente delas é o fim do mundo. E, quem sabe o começo de uma nova era em nosso jovem país, que passa pelo sofrimento já vivido por outras nações quando em desenvolvimento e precisa caminhar para dias mais civilizados.

A semana começou com um ministro do Supremo cancelando leilão de bens do corrupto mais famoso – Marcos Valério – continuou com o indiciamento dele, de novo, por mais fraudes; seguiu-se com a devolução do helicóptero que carregava meia tonelada de cocaína... Para compensar, o bigodudo mais tarado do Brasil voltou do Paraguai... O advogado de defesa é mega famoso, ex-ministro e deve tomar uma baba de dinheiro dele, mas, desta vez, além de “O médico e o monstro”, vamos nos lembrar de outro filme: “Crime e Castigo”.

Escreva seu comentário

Preencha seus dados

ou

    #ItatiaiaNasRedes

    RadioItatiaia

    CONTEÚDO PUBLICITÁRIO O endividamento das famílias aumentou e um dos principais motivos é a utilização do recurso que cobra um dos juros mais altos do mercado. Os juros do ro...

    Acessar Link