Eduardo Costa

Coluna do Eduardo Costa

Veja todas as colunas

Mais Notícias

A paciência tem limites!

A paciência tem limites!

06/05/2013 às 02:13

A ouvinte Neila Augusta, moradora de Viçosa, envia e-mail à coluna fazendo um desabafo. Diz ela: “Acho que a dor maior desses familiares das mulheres vítimas do maníaco em Contagem é saber que isso poderia ter sido evitado, se, no Brasil, existisse justiça e se a máquina do Estado funcionasse de verdade. Não sou advogada, não entendo de leis, mas, para mim, é óbvio que o verdadeiro assassino destas mulheres foi o Estado, pois, se ele tivesse cumprido o seu papel este maluco não teria feito tamanho estrago. Portanto, acho que o Estado deve ser punido e, se fosse parente de uma dessas vítimas, entraria na Justiça pedindo reparação porque pagamos muito caro, nosso país tem os mais altos impostos do mundo e é obrigação do Estado proteger o cidadão e ele falhou feio nesse caso. Afinal, esses bandidos mais cruéis possuem extensa ficha criminal e não estão presos. Por quê? Por falar nisso, gostaria de ter notícias do “Chapinha”, aquele monstro que barbarizou e assassinou a menina linda em São Paulo. Já imaginou que ele pode ser nosso vizinho? Ou morar ao lado da escola de nossos filhos? Eu duvido muito que este breve tempo que ele passou por instituição para menores infratores o tenha mudado; acho que podemos recuperar alcóotra, ladrão, toxicômano, mas, a maldade é irrecuperável. Quem mata num repente, por motivações emocionais é uma coisa (embora não esteja dizendo que é correto), mas, quem mata torturando, sem motivo, só pelo prazer de destruir e ceifar a vida não tem como ser reintegrado à sociedade e nenhuma pena poderá modificar essa pessoa. É má e ponto final. Tem que afastar essa pessoa das outras, para sempre, e encerrar o assunto. Chega!”

Escreva seu comentário

Preencha seus dados

ou

    #ItatiaiaNasRedes

    RadioItatiaia

    Especialista aponta que vistorias e análises em áreas turísticas podem mostrar processos de desgaste natural dos terrenos

    Acessar Link

    RadioItatiaia

    O prêmio de R$ 1,5 milhão não é reajustado há 12 anos pelo programa

    Acessar Link