Ouça a rádio

Compartilhe

A intolerância é a maior ameaça

Tenho insistido, no rádio, na TV, no jornal e neste espaço que a maior ameaça ao país nesses tempos de crises é o ódio entre irmãos. Mais e mais pipocam...

Tenho insistido, no rádio, na TV, no jornal e neste espaço que a maior ameaça ao país nesses tempos de crises é o ódio entre irmãos. Mais e mais pipocam as notícias espantosas de ações inacreditáveis: em Porto Alegre, uma médica se recusa a atender criança cuja mãe é petista; em São Paulo, um professor ameaça matar o aluno que não gosta da Dilma.

E as ameaças são cada vez mais frequentes, contra jornalistas consagrados, atores respeitados e até monstros sagrados de nossa cultura como Chico Buarque.

Com a exposição que o trabalho confere, também não estou imune a considerações pouco respeitosas, mas, para acalmar minha consciência, as críticas vêm tanto de “coxinhas” como dos “petralhas”. A título de exemplo, transcrevo, na íntegra, dois e-mails que recebi no mesmo dia (30). O primeiro me acusa de ser petista nojento:

“É ridículo Eduardo Costa defendendo o PT. Hoje deu nojo, foi a última vez que ouvi a Itatiaia. Já não bastasse ter que aturar Mário Henrique, baba ovo desse governador. Por causa desse Mário Henrique, depois de 40 anos, lá pra trás com Vilibaldo Alves, passei a ouvir os jogos do galo em outras rádios. Chega da Itatiaia! Enviado do meu iPhone Jacy ROSENBURG"

Duas horas depois, recebi a notícia de que serei ministro quando completar 94 anos, tamanho o meu esforço pelas causas tucanas:

“AOS PALADINOS DA ÉTICA E DA MORAL DA POLÍTICA E DO JORNALISMO (P/EDUARDO DE COSTAS)

Nome: ANTONINO DE PÁDUA

Assunto: AOS PALADINOS DA ÉTICA E DA MORAL DA POLÍTICA E DO JORNALISMO (P/EDUARDO DE COSTAS)

Mensagem:

EDUARDO DE COSTAS, OLHA LISTA DA ODEBRECHT:

AÉCIO NEVER-PRESENTE

SERRA DA CORRUPÇÃO-PRESENTE

GERALDO MERENDÃO, ALKMIN-PRESENTE

COMO É QUE É, O SR. VAI COMENTAR OU VAI ESCONDER COMO JN ESCONDEU?

CALMA, DE REPENTE SE O AÉCIO VENCER EM FEVEREIRO DE 2050, O SR. PODERÁ SER MINISTRO DA COMUNICAÇÃO. AFINAL, COM TODA ESSA DEFESA QUE O SR. APRESENTA AOS SEUS OUVINTES TAXISTAS, DIGA DE PASSAGEM SÃO EXCELENTES PROFISSIONAIS, É CLARO QUE PLEITEIAS ASCENDER EM SUA CARREIRA DE JORNALISTA TIPO 'FINTÁSTICO'.”

Faz parte de meu ofício digerir as críticas, relativizar os elogios e buscar o aperfeiçoamento, pois, afinal, Deus deu-me o privilégio de trabalhar com a opinião pública – o que há de mais sensível na humanidade. Não reclamo. Não sou injustiçado. Às vezes, não tenho tempo para expor as ideias como as concebi; de outras, falta-me capacidade de análise, ou seja, posso estar sim equivocado. Apenas insisto no pedido de calma, de paz, de compreensão do diferente...

Sou de uma família toda cruzeirense e gosto do Galo... E a gente se entende... A política vai passar; a crise também e a gente precisa continuar vivendo, perto uns dos outros. E, estendendo a bandeira branca, sugiro cantarmos com Almir Sater:

Ando devagar porque já tive pressa
E levo esse sorriso porque já chorei demais
Hoje me sinto mais forte, mais feliz, quem sabe?
Só levo a certeza de que muito pouco eu sei
Nada sei.

Conhecer as manhas e as manhãs,
O sabor das massas e das maçãs,
É preciso amor pra poder pulsar,
É preciso paz pra poder sorrir,
É preciso a chuva para florir

Penso que cumprir a vida seja simplesmente
Compreender a marcha e ir tocando em frente
Como um velho boiadeiro levando a boiada
Eu vou tocando dias pela longa estrada eu vou
Estrada eu sou.

Conhecer as manhas e as manhãs,
O sabor das massas e das maçãs,
É preciso amor pra poder pulsar,
É preciso paz pra poder sorrir,
É preciso a chuva para florir.

Todo mundo ama um dia todo mundo chora,
Um dia a gente chega, no outro vai embora
Cada um de nós compõe a sua história
Cada ser em si carrega o dom de ser capaz
De ser feliz.

Conhecer as manhas e as manhãs
O sabor das massas e das maçãs
É preciso amor pra poder pulsar,
É preciso paz pra poder sorrir,
É preciso a chuva para florir.

Ando devagar porque já tive pressa
E levo esse sorriso porque já chorei demais
Cada um de nós compõe a sua história,
Cada ser em si carrega o dom de ser capaz
de ser feliz.

Conhecer as manhas e as manhãs,
O sabor das massas e das maçãs,
É preciso amor pra poder pulsar,
É preciso paz pra poder sorrir,
É preciso a chuva para florir