Edu Panzi

Coluna do Edu Panzi

Veja todas as colunas

Vamos falar de Cuca

21/10/2021 às 11:30
Vamos falar de Cuca

Foto: Pedro Souza/Atlético

Aproveito este espaço para um assunto necessário no atual momento da temporada 2021. Vamos falar do trabalho do Cuca, e de maneira bem direta!

Impressionante como em dias seguintes a jogos como Atlético 4 x 0 Fortaleza, e em 2021 já foram muitos, os habituais críticos do “Cucabol; Cuca é pobre de ideias; Mais do mesmo; etc”, desaparecem como num passe de mágica. O Galo amassou um dos melhores times da temporada, dirigido por um dos melhores treinadores (Juan Pablo Vojvoda), tido e havido como um estrategista, recheado de boas ideias (todos os elogios muito justos). Foi uma goleada impiedosa, num excelente jogo, diante de um adversário que não jogou mal, mas foi absolutamente envolvido e engolido pelo time do “técnico pobre de ideias”.

Cuca vive o melhor momento tático em sua carreira, demonstrando conhecimento total do elenco que tem em mãos e dos adversários. Consegue fazer o Atlético render em diferentes cenários, de diferentes maneiras, com diferentes escalações e características individuais. Contra o Fortaleza, no jogo de ida da semifinal, foi bem com e sem a bola, controlando o jogo em determinados momentos e sendo reativo na maioria do tempo. Foi quase perfeito nas transições defensivas e ofensivas, nas bolas aéreas e paradas. 

No confronto dos professores Cuca x Vojvoda, no Mineirão, foi o “treinador ultrapassado” quem melhor explorou as deficiências do adversário, a ausência do titular da zaga no lado direito, colocando Keno um pouco mais por dentro e Arana para ocupar o corredor deixado pelo ala rival. Foi o “Cucabol” que anulou o Matheus Vargas, o elo entre meio-campistas e atacantes adversários, orientando Allan para persegui-lo. Foi o “técnico comum” que baixou Zaracho pela direita, tirando a força daquele setor adversário com Crispim e explorando as costas do mesmo quando o Galo recuperava a posse da bola. Foi o “treinador da mesmice” que optou por Réver, para ganhar na saída e na bola aérea. Foi o “treinador sem ideias” que pensou em Nacho solto, nas costas dos volantes do Fortaleza, que sobem a todo momento. 

Se em algum momento da carreira o técnico Cuca teve dificuldades, brilhou pouco em termos táticos, certamente em 2021 o jogo virou. Cuca faz um trabalho brilhante até aqui, e aí eu falo taticamente. Já tivemos a oportunidade de ver um Atlético com três zagueiros, dois zagueiros; um volante, dois volantes; três homens de meio, quatro meio-campistas; dois atacantes, três atacantes. Já vimos o Galo terminar jogo com apenas um zagueiro, meia de lateral e volante de zagueiro (e vencer o jogo por conta das alterações “malucas”). Já vimos grandes atuações do Galo jogando de forma reativa e tendo uma esmagadora posse de bola. Já vimos o time alternar posse e contra-ataque dentro de um mesmo jogo. Enfim, já vimos de tudo neste Atlético em 2021.

Estamos caminhando para a reta final da temporada, quando o time do Cuca já bate os 70 jogos na temporada, restando ainda quase 20 por jogar. E o restante é justamente o mais importante. Os últimos dois meses serão repletos de partidas decisivas, intensas, físicas e táticas. O Atlético tem um elenco recheado de grandes jogadores, mas nenhum deles é máquina, nenhum deles entra em campo e joga apenas de maneira intuitiva. Não fosse a gestão feita pela comissão técnica, fora e dentro de campo, provavelmente esse grupo já teria arriado. Durante toda a temporada o Galo sempre entrou com força máxima em campo, ainda que um ou outro “titular” ficasse de fora, e o time nunca perdeu a sua característica de jogo. 

O elenco do Atlético é forte? Sim. É bem montado? Sim. É caro? Sim. Está entre os melhores da América do Sul? Sim. Mas sem o trabalho do (“ultrapassado, sem ideias, Cucabol”) treinador, certamente não estaria no patamar atual. Repito: se em algum momento o Cuca deixou a desejar na carreira, com certeza não foi em 2021 e quem não reconhece ou dá o braço a torcer, é por falta de conhecimento, por acompanhar pouco o Atlético (analisar melhores momentos) ou pela pura e simples dor de cotovelo mesmo.

Edu Panzi é jornalista e comentarista esportivo na Rádio Itatiaia
Siga @edupanzi no Twitter

Escreva seu comentário

Preencha seus dados

ou

    #ItatiaiaNasRedes

    RadioItatiaia

    Partida acontece nesta terça-feira (7), às 11h. No jogo de ida, times empataram por 0 a 0. #Itatiaia https://www.itatiaia.com.br/noticia/galo-x-bragantino-fazem-final-do-bras...

    Acessar Link

    RadioItatiaia

    Militares do Corpo de Bombeiros também atuam, nesta segunda-feira (6), para evitar reignição no Parque das Mangabeiras, em BH. #Itatiaia https://www.itatiaia.com.br/noticia/s...

    Acessar Link