Ouça a rádio

Compartilhe

Tropa de choque de Bolsonaro investe em Bolsa Família de R$ 400 de olho na reeleição em 2022

Parece que a tropa de choque do centrão do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) venceu a queda de braço interna contra o ministro da Economia Paulo Guedes que, ao que tudo indica, se rendeu e não vai se opor ao Bolsa Família de R$ 400, que é o dobro do valor atual. Guedes, preocupado com as contas, defendia um valor máximo de R$ 300, mas o próprio Bolsonaro defende um valor maior.

Reunião com Pacheco

Ontem (segunda-feira, 2), Guedes esteve na residência oficial do senado, para tratar do assunto com o presidente do Congresso, Rodrigo Pacheco e estava acompanhando da força-tarefa de Bolsonaro composta por nada mais nada menos que Ciro Nogueira (Casa Civil), João Roma (Cidadania), e Flávia Arruda (Secretaria de Governo). Todos são parlamentares licenciados. O primeiro é senador e os dois últimos deputados federais. Todos de partidos de centro e fazem parte do governo. Um é do PP, outro do Republicanos e o terceiro do PL. 

E se tem uma coisa que o centrão sabe é ganhar eleição e se manter no poder. 

Esse novo Bolsa Família, com o dobro do valor, é uma boa estratégia pra salvar Bolsonaro do desgaste da CPI da Covid, assim como salvou Lula que foi reeleito, mesmo depois dos escândalos do mensalão.

De onde sai o dinheiro

O dinheiro virá da PEC dos Precatórios, que vai mudar a regra de pagamentos de ações judiciais perdidas pelo governo. As dívidas de até R$ 65 mil, que são maioria, serão priorizadas e as maiores serão parceladas, deixando uma sobra de recursos em caixa pra aumentar o valor do Bolsa Família. 

Instagram: @reporteredilenelopes
Twitter: @reporteredilene