Ouça a rádio

Compartilhe

TBT dos desafetos: adversários recuperam declarações em que Moro dizia que não seria candidato

Os partidos de centro estão lançando suas pré-candidaturas e conversando entre si na tentativa de formar candidaturas competitivas de terceira via. Os pré-candidatos João Dória (PSDB) e Sérgio Moro (Podemos) se reuniram e disseram que não discutiram a formação de uma chapa única, mas correligionários e interlocutores dos dois não descartam essa possibilidade. Moro se reuniu também com o cientista político Felipe D´ávila, pré-candidato do Novo, que disse aqui na Itatiaia, esta semana, no Abrindo o Jogo, que Moro representa o ideal de combate à corrupção que o brasileiro tanto deseja. D’ávila estará em Belo Horizonte amanhã.

Tô namorando todo mundo

O movimento dos partidos nesse momento é difuso. Enquanto Dória se reunia com Moro, o presidente nacional do PSDB, Bruno Araújo, estava no lançamento da pré-candidatura da senadora Simone Tebet, do MDB, aqui Brasilía.

“Tô namorando todo mundo” e “Eu sou de ninguém, eu sou de todo mundo e todo mundo é meu também”, de Wesley Safadão e os Tribalistas seriam os refrões perfeitos para o momento, que é de muita conversa entre as lideranças políticas, visando alianças em 2022. 

Moro tem aparecido bem nas pesquisas, mas muitos adversários apostam que ele vai derreter porque é um candidato de uma nota só, o combate a corrupção (o que é muito importante), mas não desenvolve outras propostas. Para os inimigos, o discurso de Moro não se sustenta, já que ele disse que não seria candidato à presidência da república e descumpriu a promessa. “Eu estou te falando que não vou ser. Eu não sou um político que minto... As vezes tem maus políticos que faltam com a verdade”, afirmou moro em entrevista ao fantástico. Nesta quinta-feira, uma dessas entrevistas virilizou mais uma vez, é TBT dos desafetos. Certamente, essas declarações não serão esquecidas pelos adversários políticos de Moro.

Instagram: @reporteredilenelopes
Twitter: @reporteredilene