Ouça a rádio

Compartilhe

Reunião com o TCU para discutir concessão da BR-381 é marcada para quarta. Agora sai?

Se tudo sair como o governo federal planeja, dentro de três anos devem começar as obras de duplicação da 381 de Belo Horizonte a Governador Valadares. Antes disso, devem ser feitas outras intervenções. 

Modelagem discutida na próxima quarta-feira (21)

Nós adiantamos na semana passada, em entrevista exclusiva com o ministro da infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, que o Tribunal de Contas da União (TCU) discutiria a modelagem. Na sexta, a reunião foi marcada, para quarta-feira (21). 

Se a modelagem for aprovada, em outubro, segundo o ministro, os trechos devem ser licitados. 

O ministro Tarcísio Gomes de Freitas, um dos técnicos mais respeitados no governo de Bolsonaro, também mantém um trato próximo com parlamentares e governadores.

Capital político

Perguntado sobre eleição, ele desconversa, mas com o capital político que vem construindo o engenheiro militar pode conquistar fácil uma cadeira no parlamento. 

Trechos abandonados ou sem interessados 

Mas, voltando para a BR-381, eu estou na turma do São Tomé é ver para crer. Porque a licitação não é garantia de obra. Nós já vimos trechos não terem interessados, como o mais próximo de Belo Horizonte em Sabará ou serem abandonados pelas empresas — pelo alto investimento que exigem. Mas o ministro é experiente, o que eu queria mesmo era ver detalhes dessa modelagem para sentirmos se vai desta vez. Estaou na cola do ministro! 

Mesmo que o Fundão seja sancionado, valor pode ser alterado no orçamento, está nas mãos do presidente sancionar ou vetar o projeto que aumentou o fundo de R$ 2 bi para R$ 5,7 bi. Se o presidente sancionar, o congresso pode vetar. Se o presidente vetar, o congresso pode derrubar. 

E mesmo que o valor seja sancionado e mantido, a Lei de Diretrizes Orçamentárias é apenas uma base para o orçamento do ano que vem, que vai der debatido durante todo o semestre. O presidente do senado, Rodrigo Pacheco (DEM), já disse que o valor pode ser revisado. E quem revisar esse valor é que ficará bem com a população e se articular bem, consegue ficar bem com os partidos e os parlamentares também. Quem leva essa: o Congresso ou Planalto? 

Instagram: @reporteredilenelopes
Twitter: @reporteredilene