Edilene Lopes

Coluna da Edilene Lopes

Veja todas as colunas

Protestos devem ser maiores após revelação que Bolsonaro promete fazer em live

29/07/2021 às 09:05

É grande a expectativa entre os apoiadores do presidente Jair Bolsonaro para a revelação que ele prometeu fazer na live desta quinta-feira (29). Conversei com alguns políticos e movimentos de apoio ao presidente. Eles disseram que a adesão às manifestações de domingo (1º) já está em outro patamar e que os protestos devem ser bem maiores que o previsto.

Temendo que o resultado das eleições possa ser desfavorável, o presidente tem questionado frequentemente a segurança das urnas e tem pedido o voto impresso.

Bolsonaro disse que provará que Aécio Neves (PSDB) venceu as eleições de 2018, que disputou contra a ex-presidente Dilma Rousseff (PT), através de uma demonstração de um "hacker do bem" – que vai mostrar que o sistema de votação no Brasil não é seguro –, mas o próprio tucano está quietinho.

Aécio chegou a defender uma auditoria por amostragem e a recontagem de votos em apenas 3% das urnas, mas não rendeu o assunto depois do anúncio da revelação que o presidente disse que fará.

Aécio não vai polemizar

Interlocutores de Aécio afirmam que ele não deve entrar nessa polêmica. O tucano já disse que aceita o resultado das eleições de 2018 e que não acredita em fraude. 

Bolsonaro seguro

O presidente está muito confiante, segundo sua base de apoio, de que as pessoas que acreditam nas urnas eletrônicas ficarão convencidas de que elas são inseguras.

Eu confio nas urnas. O que Bolsonaro tem a mostrar precisa ser muito grave para ele não correr o risco se desgastar ainda mais.

Zema vetou parcerias com OS

A Assembleia Legislativa pode derrubar o veto. Pelo menos é nisso que acredita o autor do projeto, deputado estadual Professor Cleiton (PSB), que também fez o requerimento para a criação da CPI da Cemig.

Para recapitular: o projeto proíbe que o governo estadual faça parcerias com Organizações Sociais (OS) — associações privadas sem fins lucrativos — para a gestão de equipamentos públicos nas áreas de saúde, segurança e educação.

Isso atrapalharia muitos os planos do governo, que já tem parcerias com OS no sistema socioeducativo e também planeja fazer na saúde, para a gestão dos hospitais regionais, por exemplo. 

Pedra no sapato

Esse projeto será uma pedra no sapato da relação do governador Romeu Zema (Novo) com a Assembleia e deve atrasar as votações de propostas no segundo semestre. Se quiser manter o veto, o Governo de Minas terá que fazer um trabalho forte de articulação no Legislativo.

Lembrando que, para votar qualquer projeto de lei, a Assembleia precisa votar, primeiro, os vetos do governador. Caso contrário, a pauta fica travada.

Escreva seu comentário

Preencha seus dados

ou

    #ItatiaiaNasRedes

    RadioItatiaia

    Entre as drogas estavam 307 quilos de maconha

    Acessar Link

    RadioItatiaia

    Negócio envolve R$ 7,5 bilhões e a aquisição de 386 unidades de varejo de autosserviço

    Acessar Link