Ouça a rádio

Compartilhe

Presidente do Banco Central pode ter que ir à Câmara esclarecer alta na inflação

O líder do PT na Câmara Federal, deputado Reginaldo Lopes, vai apresentar requerimento propondo que o Presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, vá ao plenário da casa explicar os resultados negativos dos índices oficiais de inflação em 2021. No ano passado, o IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo) fechou em 10,06%, acima do teto da meta estabelecida pelo Conselho Monetário Nacional (CMN) que era 5,25%.

“Dessa forma, fica desenhado um cenário dramático para nossa economia ao longo desse ano de 2022. Quando a inflação aumenta, como é o cenário atual, o BC poderá utilizar as elevações da Selic para encarecer o custo do crédito e, assim, 'esfriar' a economia e controlar o IPCA. No entanto, os juros elevados têm um efeito direto sobre a atividade econômica do país, que já tem apresentado um desempenho pífio no governo Bolsonaro, quando observamos os resultados do nosso Produto Interno Bruto (PIB)”, justifica o autor do requerimento.  Leia o documento na íntegra. 

Notícia crime contra Queiroga

Enquanto a bancada se mobiliza para a convocação do presidente do Banco Central, o STF já deu uma primeira resposta à notícia crime apresentada pelos petistas contra o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, por causa do Apagão de Dados no Ministério e do atraso na vacinação de crianças. O relator do pedido será o ministro do Supremo Tribunal Federal, Gilmar Mendes. Na peça, a bancada pede que sejam apuradas prevaricação (quando o funcionário público retarda ou deixa de praticar seu ofício) e infração de medida sanitária preventiva, o que pode caracterizar improbidade administrativa (quando o funcionário age contra os princípios da administração pública.