Edilene Lopes

Coluna da Edilene Lopes

Veja todas as colunas

Presidente da ALMG sobe o tom e deixa claro não vai aceitar pressão do governo

04/12/2020 às 07:28

O deputado estadual Agostinho Patrus (PV), presidente da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), subiu o tom nesta sexta-feira (4) ao ser questionado se a Casa votaria neste ano um projeto de lei do governo estadual que possibilitaria a recontratação de terceirizados.

O secretário de Planejamento e Gestão de Minas, Otto Levy, deu entrevistas nos últimos dias dizendo que a solução para não demitir 50 mil servidores de várias áreas em fevereiro é que a Assembleia aprove, ainda em 2020, o Projeto de Lei 2150/20. De acordo com ele, a proposta permitirá a recontratação dos trabalhadores que terão de ser dispensados porque as leis que regem os contratos foram consideradas inconstitucionais pelo Supremo Tribunal Federal.

Faca no pescoço

As declarações do secretário foram vistas como pressão pela ALMG, que recebeu mal a postura do governo. Nos bastidores, alguns deputados disseram que a leitura de parte da Casa é a de que o governo quer colocar uma “faca no pescoço” da Assembleia.

Ao ser questionado sobre a possibilidade de votar em breve projetos que são considerados prioritários pelo governo, como o da terceirização, o presidente da ALMG respondeu: “O que a Assembleia não quer e não vai permitir é que, como foi feito há um ano, seja dito que se a Assembleia fizer isso ou fizer aquilo nós vamos resolver o problema do estado. Daqui a pouco vão dizer: 'Olha, se vender a lua consegue pagar o 13º, se vender o sol põe o salário em dia. A Assembleia vota legislação. Quem executa, quem resolve os problemas do estado é o Executivo, não a Assembleia. O Executivo vai conseguir resolver? O Executivo vai tomar as medidas? Porque senão fica parecendo que é só assim: se Assembleia não fizer isso, não tem aquilo; se a Assembleia não fizer aquilo, não tem aquilo outro.” 

Fogo no parquinho

E disse mais: “O secretário Otto Levy é conhecido aqui como 'secretário fake news'. Ele já veio aqui no ano passado e disse que, se a Assembleia votasse em 15 dias a antecipação do nióbio, ele já tinha 30 ou 40 empresas cadastradas na Bolsa de Valores para comercializar. Então, o secretário Otto Levy, a hora que ele começar a falar coisas de verdade, a hora que ele começar a vir aqui e expor as coisas com realidade, nós vamos ouvir.”

Desaforo para casa

Pessoas próximas afirmam que Otto tem a fama de não levar desaforo para casa, mas a reposta oficial do Governo de Minas para a declaração de Agostinho foi institucional e mostra que, pelo menos por enquanto, o Executivo, que quer aprovar o projeto, baixou o tom na conversa.

Baixou o tom

Em nota, o governo estadual afirmou que tem agido para reconstruir o estado, que foi dilapidado na gestão anterior; que a antecipação de recebíveis do nióbio foi atrapalhada pelo questionamento do Ministério Público de Contas e pela pandemia; e que, preocupado com o pagamento de todo o 13º salário, avalia como imprescindível a privatização da Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais (Codemig), projeto que está na Assembleia.

Sobre a proposta em relação aos terceirizados, o governo respondeu que se trata de uma realidade que precisa ser solucionada para evitar a demissão de quase 50 mil trabalhadores. Em hora nenhuma a nota falou sobre o fato de o presidente da ALMG ter chamado o secretário de “fake news”.

Revezamento do PT

A Assembleia reelegeu nesta sexta-feira (4) a Mesa Diretora, com apenas uma mudança dos sete membros: Jean Freire (PT) entra no lugar de Cristiano Silveira (PT). Desde 2015 eles vêm revezando. Em 2015 era o Ulysses Gomes, em 2017 Rogério Correia, em 2019 Cristiano Silveira e em 2021 será Dr. Jean Freire.

Relação nos próximos dois anos

Com a reeleição de Agostinho, eleito por unanimidade, a relação entre Executivo e Legislativo precisa ser a mais harmoniosa possível, para que deem certo os planos do governador Romeu Zema (Novo) de se reeleger em 2022. Isso porque algumas das realizações da gestão, para que ele seja considerada bem sucedida, dependem da Assembleia, que até agora tem aprovado pautas importantes para o governo, mas desgastantes para a imagem dos parlamentares, como a reforma da Previdência.

2022

Zema já se declarou candidato à reeleição. O presidente da ALMG, questionado sobre uma possível candidatura ao governo estadual, tem dito que é momento de focar na gestão da Assembleia. O parlamentar tem sido sondado por aliados para tentar o Governo de Minas e, embora ele não descarte qualquer possibilidade e afirme que é cedo para pensar em 2022, apoiadores dizem que o deputado é um nome cada vez mais forte para disputa, principalmente se o prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PSD), compor uma chapa nacional.

ABC da Política

As definições de palavras do dia a dia da política que citamos aqui você encontra no do ABC da Política, para consulta e compartilhamento no Instagram @reporteredilenelopes.

Escreva seu comentário

Preencha seus dados

ou

    #ItatiaiaNasRedes

    RadioItatiaia

    A declaração foi feita após o anúncio de que a volta às aulas para as crianças de 5 a 11 anos será adiada para o dia 14 de fevereiro em Belo Horizonte

    Acessar Link

    RadioItatiaia

    ⚽ Times escalados na Arena Independência para Cruzeiro X URT, e o repórter Samuel Venâncio traz as informações. Confira! #JornadaEsportivaNaItatiaia

    Acessar Link