Edilene Lopes

Coluna da Edilene Lopes

Veja todas as colunas

Migração para partidos menores pode ser mau negócio, se legendas optarem por federação

 Prazo para candidatos trocarem de sigla termina 02 de abril, mas prazo para partidos oficializarem federação vai até 31 de maio

28/03/2022 às 06:33

Vários partidos políticos podem ficar sem recursos do Fundo Partidário se não atingirem a cláusula de barreira, ou seja 2% dos votos válidos divido pelo número de estados, nas próximas eleições. Por isso, dos 32 aptos a concorrerem as eleições, pelo menos 14, quase metade, devem precisar de formar federação partidária para não ficarem sem recursos e correr o risco de serem extintos.  


Federação
A coligação está proibida para eleição de deputado estadual e federal, mas a federação está valida e a principal diferença entre elas é que na federação, além de se unirem para concorrer às eleições, os partidos precisam agir por 4 anos como se fossem um só, com um estatuto único e com as mesmas diretrizes de votação.

Pegadinha
O prazo para políticos com mandato trocarem de partido é até sexta-feira (02), mas o prazo para os partidos oficializarem federação partidária termina no dia 31 de maio. Vários políticos estão mudando para siglas menores em busca de integrarem uma chapa na qual precisarão de menos votos para se elegerem. No entanto, muitos não estão levando em consideração que, após o dia 02 de abril, se as legendas resolverem federar, se aliando a outros partidos que também estão formando suas chapas, pode ser que os candidatos de partidos pequenos precisem de mais votos para se elegerem. Muitos políticos experientes apostam que maioria dos nânicos vão optar por federar por uma questão de sobrevivência do partido. Por isso, a situação é mais confortável para aqueles que têm certeza se seus partidos vão ou não formar federação. Certo é que, nessa dança das cadeiras, a depender das escolhas de partidos, alguns estão ficando cada vez mais longe de um assento.

Escreva seu comentário

Preencha seus dados

ou