Ouça a rádio

Compartilhe

Mudança relâmpago de regras sanitárias deixa jornalistas fora da cobertura de Bolsonaro no Catar

O Brasil, e principalmente Minas Gerais, tem tido diversas reuniões proveitosas com investidores aqui nos Emirados Árabes e região, mas uma nova regra atrapalhou a cobertura de jornalistas brasileiros à visita do presidente Jair Bolsonaro ao Catar. Jornalistas brasileiros que vieram para a cobertura, saíram de Dubai na terça-feira para irem ao Bahrein, onde foi inaugurada a embaixada do Brasil e depois ao Catar, tiveram problemas para entrar no último país e muitos estão retornando ao Brasil mais cedo.

As novas regras, colocando o país na lista vermelha da pandemia de Covid 19, exigem quarentena de dois dias e hospedagem em hotéis específicos do Catar, mesmo com apresentação de PCR feito menos de 72 horas antes do embarque. Como Bolsonaro passou dois dias do Bahrein e ficará dois dias no Catar, a quarentena de dois dias, inviabilizaria a cobertura, por isso, muitos jornalistas decidiram bem embarca. A comitiva do Brasil deve retornar ao país no dia 20.

Bastidores

A informação de bastidores é que o problema não é a crise sanitária, mas que a regra estaria relacionada a uma retaliação do Catar a países vizinhos em função de uma disputa por gás. A regra começou a valer no dia do embarque dos jornalistas e até a EBC, grupo de telecomunicações que pertence ao governo, foi pego de surpresa. Apenas convidados da delegação brasileira tiveram passe livre e a imprensa ficou de fora.

Chamando a atenção

Depois de aparecer de surpresa em uma luta de jiu-jstu com Renzo Gracie em Abu Dhabi, Bolsonaro marcou um passeio de moto no Catar e não está passando despercebido por aqui. 

Instagram: @reporteredilenelopes
Twitter: @reporteredilene