Edilene Lopes

Coluna da Edilene Lopes

Veja todas as colunas

Mineiros podem ter nomes na eleição presidencial

23/11/2020 às 05:59


As eleições municipais terminam no domingo (29), com o segundo turno, mas os nomes que podem figurar lugar de destaque no cenário estadual e nacional despontam cada vez mais.  O prefeito de Belo Horizonte, quase que tradicionalmente, é um nome a ser considerado e que fica mais forte com a reeleição de Alexandre Kalil (PSD). O governador também sempre é um potencial candidato o que, de cara, coloca Romeu Zema (Novo) e Kalil como possíveis opositores em 2022. 

Cenário nacional 

Agora um outro movimento começa a chamar a atenção: a possibilidade de ambos serem considerados para composição de chapa para o cenário nacional, já que o grande nome que seria a novidade ainda não apareceu. O presidente Jair Bolsonaro (PSL) deve ser candidato a reeleição. Como concorrentes de centro, que pudessem ter nomes viáveis, muitos falam em Sérgio Moro e Luciano Huck, quem sabe até os dois. E a esquerda fala em Ciro Gomes (PDT) e Lula (PT) e, talvez, quem sabe, até os dois juntos. 

Na histeria dos nomes que ainda não foram alardeados, correm por fora os nomes de Alexandre Kalil, prefeito que se destacou no combate à pandemia de covid-19 e é frequentemente citado por Ciro Gomes, e Romeu Zema que se tornou um player nacional do partido Novo, já que é a maior liderança eleita da legenda e está apoiando a campanha de candidatos ao segundo turno nas prefeituras não apenas em Minas, mas fora do estado também.

Para o governo de Minas também podem surgir nomes que nunca concorreram ao cargo, como o do deputado estadual Agostinho Patrus (PV), presidente da Assembleia, que afirmou nesta segunda-feira em entrevista ao podcast Abrindo o Jogo que, no momento, está focado na gestão do legislativo estadual, mas também não descartou nenhuma possibilidade para 2022. 

Outro nome que pode aparecer, e que na eleição municipal não esteve nem com o candidato de Zema e nem com o prefeito, mas compôs chapa apresentando o vice de João Vitor Xavier, do Cidadania, é o senador Rodrigo Pacheco (DEM), que pode ter o apoio do mesmo grupo das eleições municipais ou estar nele, de alguma forma, em 2022. 
Mesmo que não pareça, esta eleição ainda nem terminou e a próxima já começou faz tempo. 

As definições de palavras do dia a dia da política que citamos aqui você encontra no do ABC da Política, para consulta e compartilhamento no Instagram @reporteredilenelopes.
 

Escreva seu comentário

Preencha seus dados

ou

    #ItatiaiaNasRedes

    RadioItatiaia

    Ao todo, são 693.550 infecções desde o início da pandemia. #Itatiaia

    Acessar Link

    RadioItatiaia

    O grupo protesta após a derrota por 3 a 2 para o Vasco, no Rio de Janeiro. #Itatiaia

    Acessar Link