Ouça a rádio

Compartilhe

Políticos mineiros articulam para possível aliança entre Zema e Pacheco para 2022

Kalil (PSD), que é pré-candidato ao governo de Minas, teria que desistir da candidatura

Pedro Gontijo / Imprensa MG

Líderes políticos mineiros conversam sobre uma possível união entre o governador de Minas Gerais, Romeu Zema (NOVO), pré-candidato à reeleição, e o presidente do Congresso Nacional, Rodrigo Pacheco (PSD), pré-candidato à Presidência da República. Muitos se referem a essa possibilidade de formação como a “aliança dos sonhos para Minas”, mas para isso acontecer, o prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PSD), que é pré-candidato ao governo de Minas, teria que desistir da candidatura pelo partido. 

Até o momento, a cúpula da legenda afirma que a presença de Kalil na disputa está confirmada, mesmo que pesquisas internas dos partidos apontem para uma vantagem do governador Romeu Zema.

Dois “Marcelos”, uma vaga

Atualmente, há conversas para que o deputado federal bolsonarista Marcelo Álvaro Antônio (PSL) seja candidato ao Senado na chapa de Zema. O deputado federal, Marcelo Aro (PP), que é líder do governo de Minas na Câmara, também é cotado para disputar o Senado na chapa de Zema. O parlamentar é o mais próximo do governo de Minas. 

Com a entrada do PSD...

Em uma eventual aliança entre PSD de Pacheco e o Novo de Zema, Marcelo Aro passaria a ser considerado como uma possibilidade para vice-governador e o PSD entraria com o candidato ao Senado. Os dois nomes do partido de Kassab para o senado em Minas são o senador Antonio Anastasia e o diretor jurídico do Senado e presidente do PSD em Minas, Alexandre Silveira, que pode ser o escolhido pela sigla. 

Candidato próprio

Embora partidos de vários presidenciáveis conversem sobre alianças com o governador de Minas, o pré-candidato à Presidência pelo partido Novo é Felipe d'Avila, que na próxima sexta-feira (10) visitará a capital mineira pela primeira vez como postulante ao cargo de presidente.